Nem , tampouco Atlético-MG. Quem dá as cartas no é o América-MG. Com triunfo de 2 a 0 sobre o time celeste nesta quinta-feira, no Mineirão, os comandados de Cauan de Almeida se isolaram no topo, com 13 pontos em cinco partidas. Os atacantes Renato Marques e Rodrigo Varanda definiram o placar, para tristeza de Ronaldo Fenômeno, pela primeira vez no ano acompanhando o time do qual é dono da SAF, no estádio.

Imbatível no estadual, o América-MG derrubou a invencibilidade do Cruzeiro no ano e aumentou seus impressionantes números positivos. Além de abrir três pontos sobre o time celeste na luta pela melhor campanha, são 16 gols marcados (melhor ataque) e apenas um sofrido (defesa menos vazada).

Negociado com o Athletico-PR, Mastriani ainda é o artilheiro do campeonato, com seis gols. O jovem Renato Marques, de 20 anos, assumiu a vice-artilharia, com quatro. Por causa do terceiro cartão amarelo, o garoto desfalca o time diante do Villa Nova, no domingo.

Embalados, invictos e líderes de seus respectivos grupos, ambos com 10 pontos, Cruzeiro e América-MG entraram no Mineirão dispostos a encaminharem a vaga às semifinais. De olho, ainda, em abrir vantagem na luta para fechar com a melhor campanha da fase de grupos do Campeonato Mineiro. A promessa era de grande espetáculo.

Sob o olhar de Ronaldo Fenômeno, dono da SAF cruzeirense e presença ilustre nas tribunas, o time celeste iniciou a partida desatento. Com menos de três minutos, o América finalizou com perigo três vezes, sendo duas após roubadas de bola do goleiro Rafael Cabral e do volante Lucas Silva. Jacaré e Moisés apareciam bem pelo lado americano.

O Cruzeiro respondeu com cobrança de falta de William que desviou na barreira e parou em boa defesa de Dalberson. Didenno também teve sua chance, mas finalizou sem força em iniciou de partida em ritmo frenético e com equipes ousadas, ofensivas e postada para atacar, cumprindo recomendações de seus comandantes, Nicolás Larcamón e Cauan de Almeida.

Com apoio maciço das arquibancadas cheias, o Cruzeiro “acordou” no jogo e dominou a parte da primeira etapa. Já não sofria atrás e rondava a área ofensiva, dando sustos. A mira descalibrada, porém, acabou se tornando a grande responsável pelo zero no placar no descanso.

O ritmo alucinante da etapa inicial não prosseguiu na fase final por causa do desgaste das equipes. A luta ainda era intensa, mas com mais cadencia na criação de ambos os lados. A correria deu lugar à qualidade e precisão. Com pitada de jogadas mais ríspidas, discussões e times irritados.

No lá e cá, o América foi às redes aos 8 minutos. Nem comemorou. O auxiliar flagrou o impedimento claro de Juninho no início da jogada. Mas o lance mostrou como seriam os 45 minutos decisivos: com as equipes trocando passes e trabalhando melhor as jogadas.

Aos 15 minutos, o grito de gol finalmente saiu. Renato Marques recebeu na direita e bateu/cruzou. A bola encobriu o goleiro Rafael Cabral e morreu nas redes. Quarto gol do centroavante de apenas 20 anos no Mineiro.

O resultado ruim obrigou o Cruzeiro a acelerar as jogadas. Ricardo Silva desviou de leve e tirou o gol de Didenno. Depois, quem salvou foi Dalberson, espalmando a bela batida de Matheus Pereira.

O América reforçou a marcação e se postou esperando um contragolpe. No fim, após cruzamento de Juninho pela direita e briga na área, a bola sobrou para Rodrigo Varanda, que acabara de entrar, definir a bela vitória. Nervosos com o autor do segundo gol americano, jogadores do Cruzeiro partiram para cima do jogador, que saiu correndo do campo.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 0 x 2 AMÉRICA-MG

CRUZEIRO – Rafael Cabral; William (Wesley), Neris (Yan Lucas), João Marcelo e Marlon; Lucas Romero, Lucas Silva e Matheus Pereira; Robert (João Pedro, depois Rafael Silva), Arthur Gomes (Luis Fernando) e Dinenno. Técnico: Nicolás Larcamón.

AMÉRICA-MG – Dalberson; Mateus Henrique, Ricardo Silva, Eder e Marlon (Nicolas); Alê, Juninho e Moisés (Rodriguinho); Vitor Jacaré (Felipe Azevedo), Renato Marques (Rodrigo Varanda) e Fabinho. Técnico: Cauan de Almeida.

GOLS – Renato Marques, aos 15, e Rodrigo Varanda, aos 41 minutos do segundo tempo

CARTÕES AMARELOS – Neris, Rafael Elias, Matheus França, Lucas Silva e Marlon (Cruzeiro); Marlon, Renato Marques, Mateus Henrique, Rodrigo Varanda e Vitor Jacaré (América-MG).

CARTÃO VERMELHO – Lucas Romero (Cruzeiro).

ÁRBITRO – André Luiz Policarpo Bento.

RENDA – R$ 1.557.370,00.

PÚBLICO – 39.086 presentes.

LOCAL – Mineirão, em .