Sem Messi, que nem chegou a ser relacionado pelo técnico Lionel Scaloni, a Argentina não teve problemas para derrotar a violenta Bolívia, nesta terça-feira, em La Paz, por 3 a 0, pela segunda rodada das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2026.

Com o resultado, os argentinos alcançaram os seis pontos ganhos, enquanto os bolivianos continuam sem ponto conquistado na competição.

Traumatizada após a goleada por 5 a 1 sofrida para o Brasil na estreia das Eliminatórias, a Bolívia iniciou a partida com uma postura agressiva, tentando parar todas as jogadas argentinas com falta. Algumas violentas. A seleção campeã mundial não se intimidou e limitou-se a jogar bola. Com isso, dominou amplamente a disputa.

Depois de uma pressão inicial da Bolívia, a Argentina passou a tocar mais a bola e encontrou espaços para agredir o adversário. Aos 11 minutos, Enzo Fernández acertou um belo chute de longe e quase fez um golaço. Aos 19, foi a vez de Julián Álvarez, mas o goleiro Viscarra fez boa defesa.

Aos 30 minutos saiu o primeiro gol. Di Maria, que substituiu Messi, cruzou da direita e Enzo Fernández, de tornozelo, abriu o placar para a Argentina.

Aos 36, a situação ficou pior para a Bolívia, quando Roberto Fernández foi expulso. A Argentina aproveitou para ampliar a vantagem, aos 41. Di Maria bateu falta pela direita e Tagliafico tocou de ombro para fazer 2 a 0.

O segundo tempo foi disputado em ritmo de treino pela Argentina. Sob o comando do ‘maestro’ Di Maria, a seleção poderia ter ampliado bastante a vantagem, mas acertou a trave com Julián Álvarez.

O terceiro gol só veio aos 36 minutos, após início de jogada de Di Maria. Nicolás González bateu forte para vencer mais uma vez Viscarra.

Enquanto as Eliminatórias servirão apenas como ‘laboratório’ para a preparação argentina para o Mundial de 2026, para os bolivianos prometem ser um inferno.