A eliminação do Internacional nas semifinais da Copa Libertadores trouxe uma dor de cabeça a mais para Renato Gaúcho. O treinador de Grêmio sabe que os rivais necessitam de uma resposta imediata após levarem a virada do Fluminense por 2 a 1, na competição internacional, e ligou o estado de alerta para o clássico de domingo (8), no qual descarta o favoritismo e prevê muitas dificuldades para sua equipe.

Na visão do treinador, caso o Inter tivesse avançado à final, a equipe poderia vir para o clássico mais em clima de festa. Assim, com a queda, a obrigação de resposta no Beira-Rio aumentou bastante. Paras piorar, ainda há o fato de o time tricolor vir falhando em suas visitas.

“Há uma grande chance de o Inter se recuperar se vencer o Gre-Nal. Eu conversei com o meu grupo sobre isso. O Grêmio não é favorito, independentemente da posição ou do contexto do jogo, é um Gre-Nal”, alertou Renato Gaúcho.

Com os recentes tropeços do líder Botafogo, com somente 5 pontos no segundo turno, a concorrência começou a ver uma esperança por voltar à briga por título e Renato Gaúcho se ampara nesta mínima chance para deixar sua equipe ainda mais motivada.

“Uma preocupação a mais para o Botafogo é que agora outros grandes clubes entram na briga pelo Brasileiro. Durante a competição, você vai perdendo a gordura, a torcida pressiona e o nervosismo pega”, frisou, lembrando que uma diferença que já foi de 14 pontos hoje está em 8. “Enquanto houver chance matemática, temos de continuar correndo atrás do título”.

Renato Gaúcho espera explorar pressão sobre o rival

Explorar uma possível pressão sobre os colorados é uma das armas do Grêmio. “Não sei se existe instabilidade do lado deles. Teve sim o insucesso no meio de semana e já passei por isso. Nos preocupamos com nós mesmos e vamos buscar a vitória como sempre, já que ainda sonhamos com o título”, disse Renato Gaúcho.

“Sempre estamos motivados para o clássico, mas todos os jogos do Brasileirão exigem motivação. Não pode ter intensidade apenas no Gre-Nal. O jogador de futebol é profissional para se entregar sempre dentro do campo e eu cobro muita entrega deles”.

A “bronca” de Renato Gaúcho vem muito pelos pontos desperdiçados como visitantes nas últimas rodadas. Além do empate por 4 a 4 contra o Corinthians quando o time teve 2 a 0 e depois 4 a 3, ele ainda lamenta de tropeços contra os ameaçados de queda.

“Concordo que o Grêmio fraquejou fora de casa. Deixamos escapar pontos contra um Vasco na zona de rebaixamento e contra o Santos, da maneira que foi, estando na frente no placar”, lamentou, lembrando do 1 a 0 em São Januário e da virada na Vila Belmiro, por 2 a 1, em gol no fim com um chutão da defesa santista.

Técnico fala em ‘prevenção’ para poupar atacantes

Questionado sobre o motivo de utilizar pouco os atacantes Besozzi e Iturbe, Renato Gaúcho explicou que se trata de uma prevenção. “Não adianta você ter a velocidade e o jogador não estar rendendo. Estou tendo todo o cuidado do mundo para não jogar o Besozzi e o Iturbe aos leões. A critica não perdoa atuações ruins”, disse, lamentando, ainda, que a passagem de Suárez esteja no fim.

“Suárez é insubstituível. É forte a frase, mas é verdadeira. Ele não vai permanecer, mas está sendo muito importante neste ano”.