Há mais de um ano fechado para reforma e adequação, o Estádio Pedro Pedrossian, o Morenão, vem sofrendo com a idade, já que tem mais de 50 anos de história. O tempo de existência da estrutura é uma das causas no atraso da entrega da obra.

Segundo a Fapec (Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura) – que atua como instituição de apoio à gestora do estádio, a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) – os mais de 50 anos desgastaram a estrutura, o que propicia o surgimento de fatores inesperados à medida que avançam as reformas.

“O que tange à entrega do estádio para uso de práticas esportivas é importante lembrar que existem diversos fatores que podem impactar no prazo de conclusão das obras”, diz ao Jornal Midiamax, em nota.

De acordo com a Fapec, a Fase 2 do projeto está avançada. Os vestiários e banheiros das partes coberta e descoberta do estádio já estão finalizadas. Após a conclusão desta fase, antes da entrega da obra, são necessárias a execução do Piscip (Projeto Segurança Contra Incêndio e Pânico), instalações elétricas e o SPDA (Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas).

Além da idade estrutural do Morenão, outros processos ainda impactam no prazo para a entrega do estádio, como licenças, aprovação das fases de execução pelas instâncias fiscalizadoras e financiadoras, execução adequada dos projetos pelas futuras contratadas, entre outros.

Atraso

As obras de revitalização foram anunciadas dentro do pacote de R$ 120 milhões do Governo de MS ao esporte do Estado, em outubro de 2021 – após aniversário de 40 anos de funcionamento. O investimento total pelo Governo do Estado é de R$ 9,4 milhões.

Alguns meses após o anúncio, a Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de MS) alegou que o dinheiro já estava com a UFMS no final de 2021, mas a ‘Federal’ dizia que a Fapec (Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura), responsável pelas obras, ainda fazia as licitações.

Após um bate e rebate sobre atrasos entre a Fundesporte e a Universidade, as obras começaram apenas em junho de 2022. O processo de revitalização se divide em três etapas: estrutura e banheiros; parte elétrica; e acessibilidade e pânico.

No começo de fevereiro, o Jornal Midiamax questionou a Fapec sobre o andamento das obras e o prazo para conclusão era em até 4 meses, ou seja, em junho de 2023.

morenão
Estádio Morenão (Foto: Edemir Rodrigues/ Arquivo/ Governo de MS)

Grandes eventos esportivos

Desde o início das obras, o Estádio Morenão – principal arena de Mato Grosso do Sul – deixou de receber grandes eventos esportivos. Neste ano, o Pedro Pedrossian deixou de sediar os jogos do Campeonato Estadual Série A e também não recebe as partidas do Operário no Brasileirão Série D.

Mas o maior deles e que movimentou Campo Grande foi o fatídico “Jogo dos Amigos do Éder Militão”, que poderia ser histórico para MS e para o próprio estádio, que já teve até visita de ovnis.

Conforme o Corpo de Bombeiros, uma visita técnica ao estádio confirmou a viabilidade da realização do jogo beneficente. Entretanto, os organizadores precisariam correr contra o tempo para providenciar a documentação necessária e manutenção, já que o evento estava marcado para menos de uma semana depois.

Estádio Universitário Pedro Pedrossian, Morenão, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Reforma
Estádio Morenão (Henrique Arakaki, Jornal Midiamax)

Após essa etapa, uma nova vistoria seria agendada para verificação final do local. Como um plano B, a organização averiguou a possibilidade de usar o irmão do Morenão, o Estádio das Moreninhas, no Jacques da Luz – que recebeu o Estadual e também a Série B.

A partida beneficente seria inicialmente em Uberlândia (MG), mas alguns contratempos inviabilizaram a realização. Depois foi cotado para Cuiabá (MT), mas novamente não foi possível e os olhos se voltaram para Campo Grande.

morenão
Banner de divulgação, Éder Militão e MC Daniel (Fotos: Reprodução)

De ‘fake news’ ao que seria a maior reunião de estrelas em MS

Tudo começou quando o banner do evento vazou no final de junho e muitos sul-mato-grossenses pensaram se tratar de uma fake news. O material de divulgação trazia em destaque o jogador Éder Militão, como cabeça do evento beneficente, além de grandes estrelas.

Vini Jr. e Rodrygo, companheiros de Militão no Real Madrid, também estavam estampados. Por conta do vazamento, a organização teve que confirmar o evento antecipadamente – motivo que fez muitos desacreditarem que muitos astros pisariam em gramados campo-grandenses. O evento acabou sendo confirmado com uma lista de nomes garantidos.

Além do anfitrião Militão, integravam a lista MC Daniel, Emerson Sheik, o youtuber Jukanalha, o cantor Negão da BL, Marcelinho Carioca, Valdo Militão (ex-jogador e pai de Éder) e o cantor Naldo. Entretanto, menos de uma semana depois, o jogo beneficente acabou cancelado.

Ou melhor, segundo nota divulgava, ele teria sido adiado, mas com data a ser definida. “[…] após o estudo necessário para a prática da partida, foi verificada a falta de compatibilidade de agenda por parte do craque Éder Militão, que até então havia se programado para estar na Capital de Mato Grosso do Sul”, disse parte do comunicado.

A nova data seria neste mês de agosto, mas até então o assunto foi aparentemente enterrado. O Jornal Midiamax tentou contato com a organização, mas até esta publicação não houve retorno.