Com a vaga garantida na Eurocopa, a confirmou a liderança do Grupo B das Eliminatórias ao fazer sonoros 14 a 0 no Gibraltar, time que não somou um ponto sequer, não fez gols e já levou 28 durante o torneio. Ainda neste sábado, a Holanda derrotou a Irlanda por 1 a 0 e praticamente carimbou sua vaga.

A vitória levou a Holanda aos 15 pontos, abrindo três da Grécia, que ficou no “chapéu”. O que joga a favor da seleção holandesa é que o próximo adversário, na última rodada das Eliminatórias, é Gibraltar, enquanto os gregos enfrentam a França, líder, com 21

A França entrou em campo para aplicar a maior goleada das Eliminatórias. Em apenas 17 minutos, a seleção francesa abriu 3 a 0 de vantagem e ficou com um jogador a mais, com a expulsão de Ethan Santos, que já havia marcado um gol contra, o primeiro da partida.

Passeando na partida, a França fez um gol atrás do outro e levou 7 a 0 para o intervalo. O principal jogador da equipe, Kylian Mbappe foi titular e marcou uma única vez na etapa inicial, em cobrança de pênalti.

No segundo tempo, a França, como era de se esperar, diminuiu o ritmo, mas viu seu adversário “desistir” da partida e sofrer uma goleada histórica, com destaque para Mbappe, que fez mais dois, um deles quase do meio de campo. Giroud, Dembele, comando e Rabiot também marcaram.

HOLANDA PERTO DA VAGA

Na Johan Cruijff Arena, em Amsterdã, a Holanda tratou o duelo com a Irlanda como uma decisão, abriu o placar logo aos dez minutos com Weghorst, e deixou o jogo truncado, com o intuito de administrar o resultado, que praticamente o garante na Eurocopa

No segundo tempo, a estratégia ficou ainda mais evidente. A Holanda praticamente não deixou a Irlanda atacar ao fechar a “casinha”. Com isso, a seleção holandesa perdeu em poder ofensivo, mas conquistou três pontos importantíssimos.

MAIS JOGOS

Ainda neste sábado, a Romênia derrotou por 2 a 1 e assumiu a liderança do Grupo I, com 19 pontos, dois a menos da também classificada Suíça, que ficou no 1 a 1 com Kosovo.

O duelo entre Israel e Romênia aconteceu na Hungria, na Pancho Arena, justamente por causa dos ataques do Hamas ao país, originando uma guerra contra Gaza com milhares de mortes.