Em uma partida beirando à perfeição, o Fluminense se tornou bicampeão do ao golear o Flamengo por 4 a 1, neste domingo de Páscoa, no Maracanã. O destaque foi o atacante Cano, autor de dois gols. Ele chegou a marca de 19 na temporada

Segundo maior campeão estadual, o Fluminense chegou a 33 conquistas, contra 37 do Flamengo, que segue sendo o maior campeão do Campeonato Carioca.

O resultado que, ao mesmo tempo que enaltece o trabalho de Fernando Diniz, pressiona Vítor Pereira no comando do Flamengo. O treinador rubro-negro deixou passar a sua quinta chance de conquistar um título na temporada. Além de ficar em terceiro no Mundial, foi vice estadual, da Taça Guanabara, da Recopa Sul-Americana e da Supercopa do Brasil.

Os times entraram em campo com surpresas. Vítor Pereira apostou em um ataque com Pedro, Gabriel e Éverton Cebolinha, enquanto Fernando Diniz escalou Marcelo e Felipe Melo. O lateral fez sua reestreia com a camisa tricolor na Libertadores, no meio da semana.

Em campo, o que se viu foi um domínio avassalador do Fluminense. O Flamengo não conseguiu jogar e foi presa fácil para os comandados de Fernando Diniz, que mostrou estar iluminado, tanto que o primeiro gol teve muito da sua orientação.

Logo após Alexsander mandar uma bola na trave, Marcelo recebeu na direita, girou o corpo para cima de Éverton Cebolinha e mandou no fundo das redes, marcando o seu primeiro gol neste retorno ao clube tricolor.

O gol deu ainda mais fôlego ao time do Fluminense, que seguiu pressionando o Flamengo. Aos 31 minutos, em bela jogada de contra-ataque, Ganso deu passe milimétrico para Cano. Decisivo, o atacante pegou de primeira para fazer 2 a 0. Foi o sexto gol do argentino diante do rival nesta temporada.

O Flamengo viveu lampejos de bons momentos no fim, mas, ainda assim, quase sofreu o terceiro gol. Aos 44 minutos, Ganso colocou Alexsander na cara do gol. O lateral encheu o pé, mas viu Santos fazer um milagre para evitar um prejuízo ainda maior

No segundo tempo, o Flamengo voltou sem Gabriel, o que irritou ainda mais os torcedores do time rubro-negro, apesar da entrada de Éverton Ribeiro. Em campo, a equipe de Vítor Pereira parecia que incomodaria o Fluminense e chegou a exigir grande defesa de Fábio em cabeçada de Thiago Maia.

Mas foi só. Em um descuido de Fabrício Bruno dentro da área, o árbitro, com ajuda do VAR, marcou pênalti para o Fluminense. Cano foi para a cobrança, mas chutou em cima do goleiro Santos. O atacante pegou o rebote e fez mais um. Aos 19, Alexsander aumentou a vantagem para 4 a 0.

O abatimento acabou ficando evidente no semblante dos jogadores do Flamengo. Na parada técnica, Vítor Pereira quase não esboçou reação, que também não foi vista dentro das quatro linhas. A torcida tentou, pediu por Bruno Henrique, que foi relacionado após quase dez meses, mas não entrou em campo.

Os minutos finais foram tensos. Houve um princípio de confusão, controlado rapidamente pela arbitragem. As chances foram escassas. Com isso, tomou conta as vaias em cima dos jogadores do Flamengo e os gritos de “olé” da torcida do Fluminense.

Mesmo assim, o Flamengo ainda conseguiu diminuir aos 50 minutos. Matheus cruzou, Nino desviou e Ayrton Lucas, na sobra, marcou. No entanto, não deu tempo para buscar o empate, e o Fluminense acabou confirmando o título.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 4 X 1 FLAMENGO

FLUMINENSE – Fábio; Guga, Nino, Felipe Melo (Vitor Mendes) e Marcelo (David Braz); André, Alexsander, Ganso (Gabriel Pirani) e Arias; Keno (Lima) e Cano. Técnico: Eduardo Barros (auxiliar)

FLAMENGO – Santos; Fabrício Bruno (Filipe Luís), Léo Pereira (Matheus França) e David Luz; Varela, Gerson, Thiago Maia (Victor Hugo) e Ayrton Lucas; Everton Cebolinha (Matheus Gonçalves), Pedro e (Éverton Ribeiro). Técnico: Vítor Pereira.

GOLS – Marcelo, aos 27, e Cano, aos 31 minutos do primeiro tempo Cano, aos nove, e Alexsander, aos 19 minutos do segundo tempo. Ayrton Lucas, aos 50.

ÁRBITRO – Bruno Arleu de Araújo.

CARTÕES AMARELOS – André e David Braz (Fluminense); Léo Pereira, Éverton Ribeiro e Gerson (Flamengo).

RENDA E PÚBLICO – Não divulgados.

LOCAL – Maracanã, no (RJ).