Convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira desde a Copa do Mundo do ano passado, Neymar vai ter com o novo técnico, Fernando Diniz, mais uma chance de tentar ser protagonista da equipe.

Assim, na avaliação do treinador, o atacante que se transferiu esta semana para o futebol árabe “está muito disposto”. Dessa forma, merece “escrever o capítulo mais bonito da sua história”, o que Diniz considera que ainda não aconteceu.

Após o fracasso no Mundial do Catar, deu declarações dando a entender que poderia deixar de defender a . Então, machucado, ele não esteve nas convocações do interino Ramon Menezes. Agora, volta a ter chance com Diniz.

“Conversei com o Neymar recentemente, ele se mostrou muito disposto”, disse o novo técnico da Seleção Brasileira nesta sexta-feira, logo após anunciar a lista de convocados para os dois primeiros jogos do Brasil nas Eliminatórias, diante de Bolívia e Peru.

“Vocês já sabem o que penso em relação a ele, mas vou repetir: é um jogador que é muito difícil aparecer outro. Um talento muito raro do futebol mundial e merece até o de sua carreira, pelo imenso talento que ele tem, escrever o capítulo mais bonito da sua história – que, pra mim, ainda não foi escrito”.

Neymar vai para a Seleção Brasileira após chegar ao Al-Hilal

A convocação de Neymar veio poucos dias após o atacante assinar sua transferência para o Al-Hilal, da Arábia Saudita. Assim, será a primeira vez na história que a Seleção Brasileira contará com um jogador que atua no futebol daquele país.

Além do atacante, o zagueiro Ibañez, do Al-Ahli, também foi chamado.

Dessa forma, o impacto que o fluxo de jogadores selecionáveis para a Arábia Saudita irá causar na seleção ainda é incerto, considerou Diniz. “Em princípio, a gente não sabe o que vai acontecer. Quando não se sabe o que vai acontecer, gera preocupação. Tomara que eles consigam estruturar a liga e que ela seja competitiva. O fato de levar jogadores já torna mais competitiva, mas isso não faz ela se tornar competitiva automaticamente”, ponderou.

“É uma novidade para o mundo do futebol essa inserção da Arábia Saudita na aquisição de jogadores com idade para militar na Europa, centro principal dos jogadores. A gente vai passar a olhar e não sabe o que vai ser daqui para frente. O que vai determinar o meu olhar e a convocação dos jogadores é o desempenho fora daqui, seja na Arábia Saudita, na Europa, no Brasil, onde quer que seja. E principalmente quando eles forem convocados, como vão desempenhar dentro da própria seleção”, sustentou Diniz.