O América abriu ampla vantagem em cima do nas semifinais do ao vencer o rival por 2 a 0, neste sábado à tarde, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG), pela partida de ida. Na volta, os americanos podem perder até por um gol de diferença para ir à final, porque têm melhor campanha e entraram nesta fase com a vantagem da igualdade no placar agregado. Os cruzeirenses precisam ganhar por três gols de diferença ou por dois gols e levar a definição da vaga para a disputa de pênaltis.

Durante a derrota, o time comandado por Paulo Pezzolano teve de lidar com a revolta de parte da torcida, que chegou a gritar “time pipoqueiro” e disparou ofensas contra Ronaldo Fenômeno, acionista majoritário da SAF do clube, que estava na Arena do Jacaré. “Ei, Ronaldo, vai tomar no c…”, gritaram. Enquanto isso, outros torcedores vaiavam aqueles que xingavam o ex-atacante.

Além da superioridade do América, ficou claro que o Cruzeiro perde toda a vantagem como mandante atuando fora de . No ano passado, não houve um acordo da direção do clube com a administração do Mineirão para que os seus jogos fossem disputados no maior estádio de Minas Gerais.

Precisando vencer para tirar a vantagem do rival, o Cruzeiro foi bem mais presente no primeiro tempo. Dominou as ações em campo e passou a criar chances de gol, mas, ao mesmo tempo, errava muitos passes e permiti ao América os contra-ataques.

Aos 24 minutos, o América se aproveitou de um descuido na defesa cruzeirense pra abrir o placar. Após levantamento na área, o volante Juninho apareceu para ajeitar de cabeça para trás. Aloísio, de frente, bateu de chapa sem chances de defesa: 1 a 0. O Cruzeiro se perdeu por alguns minutos e só voltou a ter o controle de jogo nos minutos finais, quando criou duas chances importantes e perdeu. Uma com Nikão e outra com Gilberto.

O Cruzeiro voltou adiantado no início do segundo tempo, deixando claro a sua disposição de buscar o empate. E reclamou de um possível pênalti, aos 12 minutos, quando Gilberto lançou Wesley em velocidade e na disputa com Arthur ele caiu dentro da área. Nas imagens aparece um puxão no calção do atacante, mas o lance foi revisado pelo VAR e que considerou uma disputa normal.

Na primeira chegada à frente, o América ampliou o placar. Felipe Azevedo foi lançado em velocidade pelo lado esquerdo e cruzou rasteiro para o meio da área, onde Junhinho apareceu para chutar de chapa para as redes: 2 a 0, aos 16 minutos.

Mas o Cruzeiro não desistiu e manteve seu ritmo. E teve um segundo pênalti reclamado aos 27 minutos, quando Gilberto teria sido derrubado na linha da grande área. O árbitro Paulo César Zanovelli, desta vez, bem perto do lance marcou a falta. Depois de cinco minutos de análise pelo VAR, descobriu-se o impedimento no início da jogada do próprio Gilberto. O comandante do Cruzeiro, Ronaldo Nazário, num camarote, soltou um sorriso de incompreensão.

Depois disso, o clima de nervosismo predominou em campo. A torcida cruzeirense passou a gritar ‘olé’ quando o América trocava passes, como forma de protesto. O Cruzeiro, no desespero, pouco ameaçou e o América, em vantagem, priorizou a marcação para não correr riscos de confirmar a vitória.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 0 X 2 AMÉRICA

CRUZEIRO – Rafael Cabral; William (Igor Formiga), Oliveira, Reynaldo e Kaiki; Ian Lucas, Ramiro (Stênio) e Nikão; Bruno Rodrigues, Wesley (Wallison) e Gilberto (Davó). Técnico: Paulo Pezzolano.

AMÉRICA – Matheus Cavichioli; Arthur, Iago Maidana, Ricardo Silva e Nicolas (Danilo Avelar); Alê, Juninho e Benítez (Emmanuel Martínez); Matheusinho (Everaldo), Felipe Azevedo (Adyson) e Aloísio (Wellington Paulista). Técnico: Vagner Mancini.

GOLS – Aloísio, aos 24 minutos do primeiro tempo. Juninho, aos 16 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Paulo César Zanovelli

CARTÕES AMARELOS – William e Bruno rodrigues (Cruzeiro). Emmanuel Martínez, Everaldo, Felipe Azevedo e Matheus Cavichioli (América)

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.

LOCAL – Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG) .

Saiba Mais