As Olimpíadas de , em 2028, terão a inclusão de 5 novas modalidades: beisebol/softbol, críquete, flag football, lacrosse e squash. A adição do quinteto teve sua aprovação confirmada nesta sexta-feira (13) pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), após pedido feito pelo Comitê Organizador Local.

O flag football, espécie de primo do futebol americano, assim como o squash, nunca esteve na das Olimpíadas. Já críquete e lacrosse até apareceram no quadro, porém há mais de 100 anos.

O críquete esteve nos Jogos de 1900, em Paris, enquanto o lacrosse integrou o leque olímpico em duas ocasiões, nos anos de 1904, em Saint Louis, nos EUA, e 1908, em Londres.

O beisebol e o softbol, que é sua adaptação feminina, estrearam em Barcelona-1994 e Atlanta-1996, respectivamente. Permaneceram até as Olimpíadas de Pequim, em 2008, saíram nas edições seguintes e voltaram nos Jogos de Tóquio, disputados em 2021, mas não entraram no programa de Paris-2024.

Flag football fará sua estreia nas Olimpíadas de Los Angeles (IWGA, Divulgação)
Flag football fará sua estreia nas Olimpíadas de Los Angeles (IWGA, Divulgação)

Comitê local define a inclusão de alguns esportes

O regulamento dos Jogos Olímpicos permite que o Comitê Organizador Local solicite a inclusão e/ou a exclusão de algumas modalidades. A decisão, entretanto, será alvo de debates por meio da Comissão do Programa Olímpico antes de se emitir uma recomendação ao Conselho Executivo da entidade.

Tóquio escolheu a inclusão de beisebol/softbol, karatê, skate, escalada e surfe. Já para as Olimpíadas de Paris, em 2024, adicionou-se o breaking e manteve-se skate, surfe e escalada. Isso porque o trio, conforme decisão tomada no início de 2022, agora consta de forma oficial no programa a partir de 2028 em razão do sucesso de suas provas no Japão.

Boxe é dúvida nas Olimpíadas de 2028

Se por um lado há festa aos atletas das novas modalidades, no boxe a história é diferente. Tradicional presença nas Olimpíadas, o de combate não está certo para 2028.

A nobre arte vive uma crise política após escândalos financeiros na Federação Internacional. A presença em Los Angeles ainda é incerta. Nos Jogos de Tóquio, em 2021 o Brasil faturou nada menos que três medalhas na modalidade.