Na estreia do técnico Julian Nagelsmann, a seleção da Alemanha derrotou os por 3 a 1, neste sábado, em amistoso disputado no Pratt & Whitney Stadium, na cidade americana de East Hartford. O atacante Füllkrug foi o principal nome da partida, com um gol e uma assistência.

Foi a terceira vitória da Alemanha no ano, em oito jogos disputados. O triunfo marcou a estreia de Nagelsmann, que substituiu Hansi Flick, demitido após uma série negativa de resultados no comando da equipe alemã nesta temporada, após nova campanha frustrante na do Mundo, com a queda na fase de grupos no Catar.

Empurrado pela torcida, que encheu as arquibancadas, o time americano começou melhor e criou as primeiras oportunidades da partida. Aos 8 minutos, já tinha duas investidas perigosas no ataque. A primeira, aos 3, acabou no fundo das redes, mas o gol foi anulado por impedimento.

A resposta dos alemães veio aos 11. Após contra-ataque puxado por Musiala, a bola sobrou para Pascal Gross, que bateu rasteiro e acertou o pé da trave.

O bom primeiro tempo em East Hartford contava com lances ofensivos de ambos os lados. Aos 25, Pulisic desperdiçou chance incrível ao ficar cara a cara com o goleiro Ter Stegen. E acabou simulando pênalti, não atendido pela arbitragem.

No minuto seguinte, o atacante do Milan se redimiu. Ele investiu pela esquerda, carregou a marcação pelo meio e acertou lindo chute de fora da área, no ângulo, abrindo o placar. O gol desequilibrou o duelo, que tendia para o domínio dos alemães. Sem se abater, o time visitante buscou o empate aos 38, com Gündogan, após bate-rebate na área americana.

O gol deu novo ânimo aos alemães, que iniciaram o segundo tempo no ataque. O time visitante impunha pressão quando chegou ao gol da virada, aos 13 minutos. O lance, bem trabalhado, de pé em pé, acabou com finalização certeira de Füllkrug.

O terceiro gol veio aos 17. Musiala iniciou jogada que contou com assistência de Füllkrug para o próprio Musiala marcar, de carrinho, na pequena área. O gol derrubou o ritmo da partida. Os Estados Unidos passaram a demonstrar cansaço em campo, enquanto os alemães reduziram o ímpeto ofensivo. Na metade do segundo tempo, a Alemanha apenas administrou a vantagem no placar.