Esportes

Porque tanto o Flamengo quanto o Palmeiras têm preferido reforços de fora do Brasil?

Produção Publicado em 27/12/2021, às 14h05

None
Foto: Reprodução

O Brasileirão 2021 chegou ao seu final, assim como a Libertadores e Copa do Brasil - e agora as equipes do futebol nacional têm procurado se estruturar para a temporada 2022. O Palmeiras até o momento já acertou a contratação de dois novos reforços, um deles vindo diretamente do exterior: o colombiano Eduard Atuesta, que anteriormente estava defendendo o Los Angeles FC, time da MLS norte-americana. O Verdão ainda tentou contratar o zagueiro chileno Valber Huerta, da Universidad Católica, contudo, o jogador foi reprovado nos exames médicos e a negociação não foi à frente.

Enquanto isso, o Flamengo ainda não realizou grandes mudanças no seu elenco para a próxima temporada. E a principal preocupação do Rubro-Negro é a aquisição de um novo técnico, sendo que a única certeza é que ele não será brasileiro.

Os ganhadores das últimas três edições da Libertadores são atualmente os clubes mais poderosos do futebol nacional, e tanto o Rubro-Negro carioca quanto o Alviverde paulista adotaram a mesma filosofia nas janelas de transferências. Ambas as equipes possuem mais dinheiro para contratações que a maioria dos rivais nacionais, contudo, ainda assim têm optado por negociar com jogadores estrangeiros ao invés de voltar seu olhar para o mercado interno.

Observando as últimas temporadas, as duas equipes costumeiramente estão indo buscar reforços fora do país, seja de jogadores ou treinadores, principalmente vindos da Europa ou América do Sul. Na final da Libertadores, dos 11 jogadores em campo pelo Flamengo, mais da metade estavam em times estrangeiros antes de virem para o Mengão: Andreas Pereira, David Luiz, Éverton Ribeiro, Diego Alves, Mauricio Isla e Filipe Luís.

Enquanto isso, o Palmeiras passou mais de 12 meses sem contratar um jogador vindo de uma equipe brasileira, desde o acordo firmado com Breno Lopes no finalzinho de 2020 até a aquisição de Marcelo Lomba anunciada neste mês.

Mediante os resultados, não dá para dizer que estratégia adotada pelas equipes não funcione, já que ultimamente ambos os times sempre são tidos favoritos a vencer as competições que disputam. Estando sempre bem cotados nas casas de apostas com bônus, onde os palpiteiros utilizam essa vantagem para aumentar seu saldo, e consequentemente suas chances de acerto. Mas o sitedeapostasonline.net, além de listar os melhores bônus do mercado, ainda conta com dicas e estratégias interessantes sobre palpites, trazendo também diversas informações referentes às principais operadoras atuantes no país.

Qual o motivo da predileção pelo mercado externo?

A predileção dos dois times por jogadores ou cargos da comissão técnica que estavam fora do país se dá por pelo menos dois motivos. O primeiro é uma certa falta de nomes de peso no cenário nacional, já que atualmente no Brasil há poucos jogadores, com exceção daqueles que estão no Atlético-MG, que conseguiram chegar no Palmeiras ou Flamengo e serem titulares indiscutíveis, resolvendo problemas que essas equipes ainda apresentam. E os atletas que possuem a capacidade de fazer essa diferença custam rios de dinheiros, já que são jogadores consagrados com salários suntuosos ou jovens promessas, que tem um alto valor de venda no mercado europeu.

Com esse cenário, os dois times estão optando pelo melhor custo-benefício. Dessa forma, o Flamengo acostumou-se a ir até a Europa “repatriar” alguns brasileiros que não estão tendo tanto espaço em suas equipes. Já o Verdão escolheu ficar atento aos talentos do continente sul-americano, onde os jogadores normalmente são mais baratos e têm salários mais acessíveis.

Agora, os dois finalistas da última edição da Libertadores terão cerca de um mês de férias e preparação até o começo da próxima temporada. Sendo que o primeiro compromisso das equipes é do dia 26 de janeiro de 2022. quando o Flamengo enfrenta a Portuguesa, em sua estreia pelo Estadual do Rio, e o Palmeiras pela a Ponte Preta, em partida válida pelo Paulistão.

Jornal Midiamax