Esportes

Pedro faz dois, Fla bate Sport e entra de vez na briga pela ponta do Brasileiro

Qualquer time do Campeonato Brasileiro gostaria de ter um centroavante como Pedro em seu comando de ataque. Bom pelo alto, ágil com a bola nos pés, goleador e reserva de luxo de Gabriel Barbosa no Flamengo. Até quando? Nesta quarta-feira, ele marcou duas vezes, garantiu os 3 a 0 sobre o Sport e colocou o […]

Agência Estado Publicado em 07/10/2020, às 23h37

Assessoria
Assessoria - Assessoria

Qualquer time do Campeonato Brasileiro gostaria de ter um centroavante como Pedro em seu comando de ataque. Bom pelo alto, ágil com a bola nos pés, goleador e reserva de luxo de Gabriel Barbosa no Flamengo. Até quando? Nesta quarta-feira, ele marcou duas vezes, garantiu os 3 a 0 sobre o Sport e colocou o atual campeão de vez na briga pela liderança do Brasileirão.

Pelo quinto jogo seguido, Pedro deixou sua marca. Está aproveitando bem a ausência de Gabriel machucado. Já são 14 gols no ano e, o melhor, com boas apresentações. O técnico Domenèc Torrent, que voltou a dirigir o time no campo, terá dor de cabeça em breve. Como tirar o atual goleador da equipe com a volta de Gabigol? A alternativa é escalá-los juntos. Bruno Henrique, dono das duas assistências para Pedro, também cresceu. O catalão teria de usar um trio ofensivo.

O problema ficaria para o meio-campo. Sobrariam apenas três vagas para muita gente. Arrascaeta, destaque nos últimos jogos e desfalque nesta quarta-feira por causa das Eliminatórias, e Éverton Ribeiro são intocáveis. Gerson cresceu bastante e se faz necessário um volante de contenção.

O Flamengo desencantou sob o comando de Pedro e Gabigol pode ser sacrificado. Se ficou bravo na primeira vez que isso aconteceu, não teria argumento com o atual momento de Pedro.

Domenèc pode voltar a usar rodízio para não desagradar ninguém. Mas vai curtir a boa vitória diante de um rival duro antes de decidir a próxima escalação. O Flamengo foi aos 24 pontos graças a um segundo tempo imponente, avisando à concorrência que brigará pelo bicampeonato.

Antes do jogo desta quarta-feira, a diretoria anunciou a renovação de contrato do zagueiro Natan até dezembro de 2024. Negocia, agora, a ampliação do vínculo de Matheuzinho e do goleiro Diego Alves. Os dirigentes ainda conseguiram a liberação do lateral-direito Isla da seleção chilena.

Assim como diante do Athletico-PR, o Flamengo pouco produziu na primeira etapa. Se na rodada passada o primeiro tempo foi paranaense, nesta quarta-feira quem mandou na etapa inicial foram os pernambucanos.

Marquinhos, logo aos 3 minutos, teve oportunidade clara e mandou para o alto. Gustavo Henrique, novidade no time titular, desviou, salvando a pele de Arão, que errou na saída de jogo. Aos 22 foi a vez de Maidana cabecear para Marcão, também de cabeça, assustar. Patric ainda chegou no fim. O chute, porém…

O Flamengo sentia claramente a ausência de seus articuladores. Éverton Ribeiro está na seleção brasileira, e Arrascaeta, com o Uruguai. Diego teve a incumbência de levar o time ao ataque. Ganhou a faixa de capitão para erguer seu moral. Mas, sozinho, teve dificuldades. Até tentou cavar um pênalti, mas não “enganou” a arbitragem.

Os cariocas demoraram 27 minutos para finalizar com perigo. Pedro exigiu defesa acrobática de Lucas Polli. Foi o que o Flamengo conseguiu de melhor em 45 minutos sonolentos e sem brilho.

Contra o Atlhetico-PR a solução veio do banco de reservas. Éverton Ribeiro entrou e decidiu. Quem seria o “salvador da pátria” da vez? Michael aqueceu nos minutos finais do primeiro tempo.

Mas Domenèc resolveu não mexer. Nada de sacrificar alguém, mesmo com o time inteiro abaixo do esperado. Deu moral a quem começou e foi premiado aos 5 minutos. Boa trama, Isla cruzou, Bruno Henrique ajeitou de peito e Pedro bateu forte: 1 a 0. Foi o 13° gol do centroavante no ano, que balançou as redes nas últimas cinco partidas.

O Sport nem se recuperou do baque e foi vazado novamente. Diego cobrou escanteio e Gustavo Henrique cabeceou para ampliar. Só dava Flamengo, que chegou ao terceiro antes de 15 minutos, novamente com Bruno Henrique achando Pedro. O centroavante dominou no peito e empurrou por baixo.

O Sport que foi forte no primeiro tempo, não teve mais ânimo nem forças para reagir, parando nos 20 pontos. E o Flamengo apenas administrou a vantagem boa para festejar a sétima vitória no Brasileirão.

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO 3 x 0 SPORT

FLAMENGO – Hugo Souza; Isla, Gustavo Henrique, Natan e Filipe Luís (Renê); Thiago Maia, Gerson (Pepê) e Diego (Matheuzinho); Bruno Henrique (Vitinho) e Pedro (Lincoln). Técnico – Domenèc Torrent.

SPORT – Luan Polli; Patric, Maidana, Adryelson e Sander (Luciano Juba); Marcão, Ricardinho, Lucas Mugni (Leandro Barcia) e Thiago Neves (Maxwell); Marquinhos (Rogério) e Hernanes (Jonatan Gómes) Técnico – Jair Ventura.

GOLS – Pedro, aos 5 e aos 14, e Gustavo Henrique, aos 9 minutos do segundo tempo.

CARTÃO AMARELO – Adryelson, Patric e Marcão (Sport).

JUIZ – Caio Max Augusto Vieira (RN).

RENDA E PÚBLICO – Jogo disputado com portões fechados.

LOCAL – Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Jornal Midiamax