Esportes

Por protesto contra arbitragem, Ronaldo Alves revela que pensou em abandonar a partida

Principal reclamação se deu por conta de pênalti marcado e desmarcado no segundo tempo

Clayton Neves Publicado em 26/09/2017, às 01h23

None

Principal reclamação se deu por conta de pênalti marcado e desmarcado no segundo tempo

Como não poderia deixar de ser, os jogadores do Sport não pouparam criticas à arbitragem de Sandro Meira Ricci após o empate por 1 a 1 com o Vasco, nesta segunda-feira, na Ilha do Retiro. Presente no quadro da Fifa desde 2011, o árbitro expulsou o meia Diego Souza ainda no primeiro tempo por reclamação e no segundo marcou um pênalti e depois voltou atrás após consultar um dos seus assistentes. Lance inclusive que levou o zagueiro Ronaldo Alves a pensar em abandonar a partida (o jogador chutou a bola para a torcida em forma de protesto). 

“Eu até gosto do Sandro. Já conheço ele de algumas oportunidades, mas infelizmente eles vieram aqui e atrapalharam nosso trabalho. Começou com a expulsão do Diego e depois marcando faltinhas que vão estressando os jogadores dentro de campo. A arbitragem do futebol brasileiro é um reflexo de quem comanda o país. Com a sujeira para debaixo do tapete. Pensei em sair do jogo em forma de protesto. Mas depois pensei no meu elenco e não poderia deixar o time na mão”, revelou Ronaldo Alves. Na ocasião, o técnico Vanderlei Luxemburgo ainda tinha direito a uma substituição. 

Ajuda externa 

Já para o atacante André, que anotou o gol de empate dos rubro-negros, Meira Ricci teve influência externa para voltar atrás na decisão da penalidade. Algo que ainda é permitido. O curioso é que após o Vasco perder para o Corinthians por 1 a 0 na rodada passada, com um gol de mão do atacante Jô, a CBF cogitou iniciar o auxílio da arbitragem de vídeo nesta rodada do Brasileiro. Mas sem ter o aparato técnico, desistiu da ideia.

“Não vi o lance. Estava de costas. Mas o juiz deu. E o cara lá debaixo (assistentes) viu que não foi. Ai vão falar que não teve ajuda de fora? Não tem como. Ao fica complicado para a gente falar porque senão é punido. Mas eles fazem o que querem e ninguém faz nada”, reclamou o atacante, que seguiu nas criticas, lembrando do polêmico gol de Jô contra o Vasco.

“Muitas pessoas falam que os jogadores de futebol têm que melhorar, mas esquece de outras coisas que estão fazendo o futebol brasileiro chato, polêmica. Muita gente julgou o Jô porque ele não falou que fez o gol com a mão, mas ninguém falou do árbitro de linha que estava perto do lance e não decide nada. Ficamos a mercê, eles fazem o que querem e ninguém pode falar nada”, completou.

Jornal Midiamax