Esportes

Campo Grande irá sediar 1ª etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia

Governador realizou o lançamento do evento nesta segunda

Midiamax Publicado em 01/08/2016, às 14h55

None
Foto: Mariana Anjos/Midiamax

Governador realizou o lançamento do evento nesta segunda

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB), realizou o lançamento da 1ª etapa do Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia Open 2016/2017, que será realizado nos dias 22 a 25 de setembro, em Campo Grande, logo após o término das Olimpíadas 2016 no Rio de janeiro. Há seis anos o estado não recebia este evento.

Segundo o presidente da Fundesporte (Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul), Marcelo Miranda, o Estado será visto por todo o país com esta participação. “É a primeira etapa do Open após as Olimpíadas e a mídia toda vai estar focada em Mato Grosso do Sul e nós temos a responsabilidade de fazer um grande evento. Com isso vamos retomar o Estado como o local de grandes eventos esportivos”.

Ainda segundo o Miranda, não haverá custo financeiro para MS. “A contra partida do governo é o apoio logístico da organização e a organização local. A grande organização é da confederação Brasileiro de Vôlei. Não tem custo para o governo”. O evento será realizado no Parque das Nações Indígenas.

O vice-Presidente da Confederação Brasileira de Voleibol, Neuri Barbieri destacou que está sendo feito justiça realizar esta etapa em Mato Grosso do Sul. “O Estado já reivindica a tempos para nós esta participação e MS merecia receber por toda sua participação no vôlei do Brasil. Seria injusto Mato Grosso do Sul não fazer esta etapa”.

“Quando se unem as forças é possível ter as realizações. A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), a Federação de Voleibol de MS e o Banco do Brasil, juntos do Governo do Estado, retornam após seis anos com essa possibilidade de Campo Grande sediar eventos esportivos importantes como este”, disse o governador.

Realizado pela CBV e pelo Banco do Brasil, o circuito de 2016 inicia por Campo Grande e deve percorrer mais 11 cidades brasileiras até o fim do primeiro semestre de 2017.

Jornal Midiamax