Esportes

Sem apoio, paratleta de MS cogita defender município de outro estado

Natural de Juti, Rosana tem seis medalhas em seis torneios disputados

Midiamax Publicado em 08/04/2015, às 17h43

None
rosana.jpg

Natural de Juti, Rosana tem seis medalhas em seis torneios disputados

Sem conseguir patrocínio e apoio local, a paraatleta Rosana Urbieta, de 32 anos, cogita defender município de outro estado. Nascida e criada em Juti, a 306 quilômetros da Capital, Rosana precisa tirar dinheiro do próprio bolso para disputar as competições nacionais. “Penso em buscar apoio fora do Estado, pois não quero parar de competir”.

A paraatleta sul-mato-grossense disputará Copa do Brasil em Curitiba no dia 10 e, mais uma vez, terá que se patrocinar. Ela conta que recentemente só não desistiu do esporte por ter conseguido comprar equipamento.

“Há três anos que pratico o esporte, conquisto medalhas, e nunca fui ajudada pelo município. O tiro é um esporte que tem altas despesas. É preciso apoio, e não temos. É triste, desanimador, desmotiva”, relata Rosana.

Desde que sofreu acidente e perdeu um membro, Rosana se dedicou ao tiro esportivo. “Não quero ter que parar. Depois do acidente, o tiro é minha motivação, meu combustível”. Ela começou a disputar torneios da modalidade a partir de 2012.  

De lá para cá, subiu ao pódio em todas as competições. São dois ouros (Campeonato Brasileiro 2012 e Campeonato Sul-brasileiro 2014), duas pratas (2ª Copa do Brasil 2014 e Campeonato Brasileiro 2014) e dois bronzes (Copa do Brasil 2014 e Copa do Brasil 2013).

Rosana afirma já ter procurado a prefeita Isabel Rodrigues (DEM), mas voltou de mãos atadas. “É ruim para mim e para o município. Quando tem atleta de alto nível eles não valorizam”, critica. Ela ainda vê as dificuldades aumentarem por ser para atleta. “É mais difícil para os que disputam esportes paraolímpicos conseguir apoio, patrocínio”.

Outro lado

A equipe de reportagem contatou a Prefeitura de Juti e foi informada via assessoria que a prefeita Isabel Rodrigues (DEM) visitou Rosana recentemente e que é estudada uma forma de ajudar a paraatleta a disputar competições nacionais.

A administração municipal reiterou que não há nada garantido, mas que há diálogo para disponibilizar alguma forma de apoio para a esportista jutiense.

Jornal Midiamax