Rumo ao São Paulo, Wesley deixa o Verdão após passagem conturbada

Volante se despede do Palmeiras nesta sexta-feira sem deixar saudade no clube
| 27/02/2015
- 14:54
Rumo ao São Paulo, Wesley deixa o Verdão após passagem conturbada

Volante se despede do nesta sexta-feira sem deixar saudade no clube

De contratação milionária, com direito a tentativa de participação da torcida na arrecadação, a uma saída pelas portas do fundos. Assim se resume a trajetória de Wesley no Palmeiras, do início de 2012 a fevereiro de 2015. Depois de três anos no clube, o volante se despede do Verdão nesta sexta-feira com 103 partidas, 12 gols, os títulos da Copa do Brasil de 2012 e do Campeonato Brasileiro da Série B de 2013, sem deixar saudade nos dirigentes e torcedores alviverdes. Seu destino é o rival São Paulo, clube com o qual assinará contrato de quatro anos e é esperado na próxima semana. Agora esquecido no Verdão, ele viveu realidade totalmente diferente no início da sua trajetória.

Para reforçar o plantel comandado por Luiz Felipe Scolari, o presidente Arnaldo Tirone e o vice Roberto Frizzo foram ao mercado e acharam na Alemanha uma opção para agradar ao exigente treinador e resgatar a confiança dos torcedores. Depois de se destacar com a camisa do Santos na conquista do Paulista e da Copa do Brasil de 2010, Wesley foi vendido para o Werder Bremen. Mas, quase dois anos depois, viu com interesse a possibilidade de retornar ao Brasil.

Com problemas no caixa, o Verdão tentou uma manobra inédita e lançou o site www.wesleynoverdao.com.br para atrair investimentos dos torcedores. No sistema crowdfunding, o clube “vendeu” cotas de R$ 100 e tinha como objetivo arrecadar os R$ 21.377.300,00 necessários para bancar os custos da transferência (R$ 13 milhões ao clube alemão e cerca de R$ 8 milhões em custos bancários, participação do Santos como clube formador e comissão ao site organizador do projeto).

No início de março de 2012, um mês depois da campanha, os alemães liberaram Wesley para assinar com o Verdão. Depois de arrecadar menos de R$ 500 mil, o clube apresentou garantias financeiras para sacramentar a negociação. E assim o volante foi liberado para estrear. Mas em abril, uma lesão no joelho direito fez o jogador perder quase toda a temporada.

Recuperado de lesão, Wesley viveu seu melhor momento do Palmeiras em 2013. Titular absoluto do meio de campo comandado por Gilson Kleina, o volante se destacou na conquista da Série B. Em 2014, porém, a irregularidade do atleta dentro de campo e a novela sobre a renovação de contrato acabaram desgastando o relacionamento.

Em baixa, o volante passou a ser alvo de protestos por parte dos torcedores – ele chegou até a relatar tentativa de agressão. Na reta final do Brasileirão do ano passado, o atleta caiu drasticamente de produção e foi bastante criticado. Internamente, dirigentes e até funcionários questionaram constantemente a postura do jogador em um dos momentos mais delicados da equipe. Tanto que a cúpula do clube tentou intervir diretamente no futebol.

Insatisfeitos com o baixo rendimento do time e de Wesley, dirigentes pediram a Dorival Júnior que afastasse o volante. O treinador não apenas o manteve no elenco como continuou o escalando entre os titulares. Coincidência ou não, a comissão técnica foi demitida um dia após o término do campeonato e decidiu não iniciar a temporada com o jogador no grupo.

Em março do ano passado, o GloboEsporte.com revelou o início de namoro entre Wesley e São Paulo. Tal fato sempre foi negado constantemente pela diretoria tricolor e pelos empresários do atleta. O objetivo era não aumentar a rivalidade entre Paulo Nobre e Carlos Miguel Aidar, acirrada depois da transferência de Alan Kardec, amigo do volante, para o rival.

Nesta sexta-feira, o atleta fica livre para, finalmente, assinar com o Tricolor. No Verdão, resta uma dívida de R$ 21 milhões, cobrada por Antenor Angeloni, presidente do Criciúma, por ter sido o avalista da negociação entre Palmeiras e Werder Bremen, e nenhuma saudade.

Veja também

Existem adversários que são verdadeiras pedras no sapato. E Jelena Ostapenko é o tipo de...

Últimas notícias