Esportes

Palmeiras faz 4 e volta a derrubar São Paulo no Allianz

Equipe alviverde não deu chance aos rivais

Gerciane Alves Publicado em 28/06/2015, às 20h07

None
palmeiras.jpg

Equipe alviverde não deu chance aos rivais

Os mais de 29 mil torcedores presentes no Allianz Parque tiveram a impressão de assistir um filme repetido neste domingo, em partida válida pela nona rodada do Campeonato Brasileiro . Assim como foi pelo Estadual, quando os donos da casa venceram com facilidade, o Palmeiras dominou o São Paulo , construiu um placar imponente por 4 a 0 e foi agraciado com gritos de olé ao final do clássico. O triunfo ainda foi o primeiro de Marcelo Oliveiro no comando da equipe, que havia perdido para o Grêmio no último jogo. Leandro Pereira, Victor Ramos, Rafael Marques e Cristaldo foram os algozes desta tarde.

Além da moral conquistada após vencer um de seus maiores rivais, o Palmeiras ganha quatro lugares na classificação e agora aparece exatamente no meio da tabela, 10º lugar, com 12 pontos. Já o São Paulo, com o tropeço do Sport , não só perde a oportunidade de retomar a liderança da Série A , como cai para quarto, com 17 pontos ganhos.

Palmeiras e São Paulo alternaram bons momentos em um primeiro tempo recheado de emoções no clássico paulista. Apesar dos donos da casa começarem melhor, foram os visitantes os mais perigosos. No mais agudo, Alexandre Pato aplicou uma caneta em Victor Ramos, cortou para o meio e carimbou a trave. Em outro lance, após bola trabalhada no meio-campo, Michel Bastos tentou finalizar de primeira, mas mandou por cima do gol.

Porém, no momento em que o clube tricolor estava melhor, os comandados por Marcelo Oliveira foram mais felizes. Após receber cruzamento rasteiro de Egídio, Leandro Pereira contou com a sorte ao ver sua finalização ser desviada e enganar Rogério Ceni, que até tentou, mas viu a bola morrer no fundo das redes. O gol fez o Palmeiras crescer e, por pouco, não ampliou na sequência. Victor Ramos apareceu sozinho após cobrança de escanteio e carimbou o travessão. Em outra desatenção da zaga tricolor, o zagueiro não desperdiçou. Dessa vez, o camisa 3 subiu mais alto que a marcação e testou com firmeza, no cantinho de Ceni.

Satisfeito com a atuação do São Paulo, apesar da desvantagem no placar, Juan Carlos Osorio voltou com a mesma equipe na volta do intervalo. O técnico colombiano, no entanto, não voltou. Ele foi expulso pelo árbitro Anderson Daronco após um excesso de reclamação no fim do primeiro tempo. Acreditando em um possível empate, os visitantes até pressionaram o Palmeiras no começo da etapa final, mas o dia não era deles.

A equipe comandada por Marcelo Oliveira soube aproveitar os espaços deixados pelos rivais e não demorou muito para encaixar um ótimo contra-ataque e marcar o terceiro. De pé em pé, a bola chegou em Egídio, que encontrou Rafael Marques sozinho no lado direito. O atacante bateu no contrapé de Rogério e ampliou. Perdido em campo, o São Paulo se jogou de vez ao ataque e, mais uma vez, foi castigado. Egídio, de novo, acertou um perfeito cruzamento para Cristaldo, que entrou no lugar de Leandro Pereira. O argentino deu um peixinho, marcou o quarto e cravou mais uma vitória imponente do Palmeiras sobre adversário tricolor no Allianz Parque.

Palmeiras 1 x 0 São Paulo – 31min do primeiro tempo

Egídio cruzou da esquerda, Leandro Pereira chutou da meia lua, a bola desviou em Souza e enganou Rogério Ceni

Palmeiras 2 x 0 São Paulo – 40min do primeiro tempo

Robinho bateu escanteio da direita, Victor Ramos subiu no meio da zaga e cabeceou no canto direito de Rogério Ceni

Palmeiras 3 x 0 São Paulo – 13min do segundo tempo

Egídio foi acionado na ponta esquerda e cruzou rasteiro. Rafael Marques apareceu na segunda trave e chutou no canto direito de Rogério Ceni

Palmeiras 4 x 0 São Paulo – 27min do segundo tempo

Egídio alçou bola da esquerda, Cristaldo apareceu sozinho na área e, de peixinho, cabeceou sem chances para Rogério Ceni

Gramado apresenta melhora

O gramado do Allianz Parque apresentou uma leve melhora em comparação com o visto duas semanas atrás na partida contra o Fluminense. Com muitos buracos e pontos amarelados no último confronto, o campo do estádio recebeu críticas até do diretor Alexandre Mattos, que o classificou como ridículo. Neste sábado, no entanto, a cor verde era predominante no campo e a bolava rolava com menos dificuldade. Porém, para estar 100%, a WTorre, empresa que gerencia o estádio, afirmou que precisará de três a seis meses.

Se Danilo, em baixa no Corinthians, era considerado o “rei dos clássicos” em São Paulo, Rafael Marques já aparece como candidato natural ao posto. Com o gol marcado neste domingo, o atacante do Palmeiras chega aos 10 na temporada, sendo cinco em confrontos contra rivais. Pelo Campeonato Paulista, ele deixou sua marca duas vezes na vitória sobre o São Paulo e empatou a partida contra o Corinthians na semifinal. Já pelo Brasileiro, o camisa 19 abriu o placar na triunfo sobre os alvinegros em Itaquera. Falta apenas balançar as redes contra o Santos para consolidar de vez o novo apelido dado pela torcida palmeirense…

Tabu quebrado

A última vez que o Palmeiras havia derrotado o São Paulo em seu próprio estádio, pelo Campeonato Brasileiro, foi em setembro de 1996. Na época, a partida terminou com vitória alviverde por 2 a 1. Rincón abriu o placar, Aristizábal empatou e Djalminha, de pênalti, garantiu o triunfo. De lá para cá foram apenas três clássicos no antigo Palestra: derrota por 1 a 0 em 2007, empate por 2 a 2 em 2008 e por 0 a 0 em 2009.

Jornal Midiamax