Esportes

Luxa condena “hipocrisia” e agradece SPFC, mas segue no Fla

Luxa revelou detalhes sobre as conversas 

Diego Alves Publicado em 11/04/2015, às 23h07

None
luxemburgoapontagilvandesouxaflamengo_1.jpg

Luxa revelou detalhes sobre as conversas 

Especulado no São Paulo, o técnico Vanderlei Luxemburgo agradeceu o interesse do clube paulista, mas garantiu a própria permanência no Flamengo. Ainda assim, o treinador destacou o fim da “resistência” que sofria do time tricolor durante a gestão Juvenal Juvêncio, e fez questão de manter as portas abertas para a possibilidade no futuro. A entrevista foi concedida nesta sexta-feira, após o treino rubro-negro no Ninho do Urubu.

“Gostaria muito de agradecer essa possibilidade, mas não tem como a situação caminhar para isso agora. Tenho projetos no Flamengo, planejamento. Dentro da minha responsabilidade e do meu profissionalismo, como exige o futebol”, declarou Luxa. “Acho que ainda têm dois clubes que eu não trabalhei e que eu ainda penso: São Paulo e Internacional, mas vamos ver depois. No começo do ano, teve a situação do Inter (que demonstrou interesse em Luxa). Isso é bom, mostra que estamos aí. Se der tempo no futuro, seria bom”, prosseguiu.

Pela primeira vez desde o início das especulações, Luxa revelou detalhes sobre as conversas que teve com a cúpula são-paulina, comandada por Carlos Miguel Aidar, que o tratava como um dos favoritos para a vaga deixada por Muricy Ramalho.

“Eu falei o seguinte: ‘olha, presidente, agradeço muito. Até porque o meu nome já foi rejeitado pelo São Paulo em certos momentos, por conta da rivalidade e tudo mais (Luxa já comandou os rivais Corinthians, Palmeiras e Santos), e isso para mim é bom, mostra que acabou aquela resistência quanto ao profissional. Mas eu não tenho como sair do Flamengo neste momento’”, contou o técnico, que não vê qualquer hipocrisia na revelação.

“Não sei porque as pessoas perdem o direito de optar por outra empresa no futebol. Cara, eu sou profissional como qualquer outro. Essa hipocrisia só existe no futebol, de dizer que o técnico não conversa com dirigentes sobre propostas. Isso é mentira, todos conversam. Funciona assim com todos. É um direito do profissional de ouvir propostas. Hoje os dirigentes colocam multas pequenas até para poder mandar o treinador embora com facilidade”, criticou Luxemburgo, que continuou.

“No meu caso, eu tenho uma multa de um mês de salário que tanto o Flamengo pode exercer, quanto eu posso. O que aconteceu com o São Paulo é que eu estava aberto à conversa. O próprio presidente do São Paulo me procurou para uma conversa mais firme, para saber se havia a possibilidade de eu aceitar uma eventual proposta”, afirmou.

Durante o treinamento no Ninho do Urubu, o lateral colombiano Pablo Armero foi apresentado à imprensa como novo reforço flamenguista. Questionado sobre a contratação, Luxemburgo não poupou elogios. “O Armero se encaixa no perfil que quero hoje. Tem boa regularidade, é forte, muito técnico, e é do nível de seleção”, avaliou, por fim.

Também nesta sexta-feira, o presidente rubro-negro Eduardo Bandeira de Mello destacou que jamais duvidou da permanência de Luxemburgo no comando técnico da equipe. “Eu nunca tive dúvida de que o Vanderlei ficaria no Flamengo. Hoje de manhã, o presidente Aidar me ligou e disse que o São Paulo não tinha intenção de deixar o Flamengo sem treinador. Teve o contato sim, mas não partiu dele e ainda pediu desculpas. Não vejo problema que o Vanderlei Luxemburgo converse com outros clubes. Qualquer contrato prevê cláusulas de saída, é uma coisa natural”, concluiu o mandatário flamenguista.

Jornal Midiamax