O Concurso Nacional Unificado, anunciado há algumas semanas pelo , ainda gera dúvidas entre concurseiros e desavisados que se interessaram em realizar a prova, prevista para ocorrer ainda no próximo ano.

A prova busca contemplar até 7.826 vagas em cerca de 50 órgãos federais. Entretanto, a adesão ocorre por parte dos órgãos, deixando em aberto a quantidade de oportunidades.

Os salários iniciais podem chegar aos R$ 20 mil, dependendo do órgão.

Conforme detalhes da proposta, a previsão é para que o Governo Federal publique o até dezembro deste ano. A prova deve ocorrer em março de 2024.

Anteriormente, a previsão era de que as provas ocorressem em fevereiro deste ano. Entretanto, o secretário de Gestão de Pessoal do Governo Federal, José Celso Cardoso Jr, explicou que a data está sendo revista.

Situação atual do Concurso Nacional Unificado

  • Situação: Anunciado/Previsto para 2023
  • Banca: a definir
  • Vagas: até 7.826 previstas + CR
  • Salário inicial: até R$ 22 mil

O que é o Concurso Nacional Unificado

Primeiramente, o Ministério da Gestão e Inovação em Serviços Públicos propôs o Concurso Nacional Unificado aos outros órgãos do governo federal.

A princípio, o objetivo é reunir todos os concursos autorizados para preenchimento de vagas para servidores públicos federais em uma única prova, dividida por áreas.

Com a perda de 73 mil servidores ao longo dos últimos seis anos em órgãos federais, o Ministério da Gestão busca agilizar a ocupação dessas vagas.

Além disso, a prova será organizada pelo MGI, Inep, Ipea, Enap e AGU, que formarão uma espécie de Coordenação Geral. O arranjo também prevê a participação das comissões setoriais de cada um dos órgãos envolvidos, que formariam o Comitê Consultivo/Deliberativo.

Quando será a prova?

Conforme adiantado, o Ministério da Gestão pretende publicar o edital ainda neste ano, até 20 de dezembro.

O comitê organizador do concurso público e órgãos que desejam participar da seleção devem ser definidos ainda em setembro.

Por fim, o Ministério da Gestão ainda não definiu a data para que a prova do Concurso Nacional Unificado seja aplicada, mas a expectativa é que ocorra em março de 2024.

Confira o calendário planejado para o Concurso Nacional Unificado:

  • 25/08/2023 – apresentação da proposta;
  • até 20/09/2023 – ato normativo do Ministério da Gestão criando comitê organizador;
  • até 29/09/2023 – adesão dos Ministérios ao Concurso Nacional Unificado;
  • até 20/12/2023 – divulgação do edital;
  • Meados ou fim de março/2024 – aplicação das provas.

Prova deve ocorrer em todo o Brasil; veja os locais

Nesse sentido, as provas do Concurso Nacional Unificado devem ser realizadas de forma simultânea, ou seja, ao mesmo tempo, em todo o Brasil. Para isso, a aplicação ocorrerá em 179 cidades.

Confira a quantidades de cidades por região:

RegiãoNº de municípios
Norte39
Nordeste50
Centro-Oeste18
Sudeste49
Sul23

Conforme o Ministério da Gestão, a quantidade de cidades considera o raio de influência microrregional de municípios médios e grandes e as facilidades de acesso entre elas.

Em , a prova será realizada em quatro municípios. Confira:

São previstas mais de 7,8 mil vagas

A expectativa é que o edital contemple 7.826 vagas, além de cadastro reserva. Entretanto, o número pode ser menor, pois depende da adesão dos órgãos.

Com isso, os candidatos deverão optar por um dos blocos das áreas de atuação no momento da inscrição no Concurso Nacional Unificado. Confira:

Áreas de Atuação GovernamentalVagas Autorizadas
Administração e Finanças Públicas580
Setores Econômicos, Infraestrutura e Regulação1.015
Agricultura, Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário1.040
Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação1.194
Políticas Sociais, Justiça e Saúde1.470
Trabalho e Previdência940
Dados, Tecnologia e Informação Pública895
Nível Intermediário692

Após escolher o bloco, o candidato deverá definir o cargo/carreira desejado entre as vagas disponibilizadas.

Etapas da prova do Concurso Nacional Unificado

Até o momento, ainda não existe confirmação de como serão as etapas. A expectativa é que ocorram duas provas objetivas. Uma com matriz geral e outra específica por bloco temático.

Então, as comissões organizadoras dos diferentes órgãos e entidades públicas deverão definir as questões específicas.

Por fim, a proposta ainda será validada com os órgãos e entidades públicas que aderirem ao Concurso Nacional Unificado.