Comércio ‘repete’ 2015 e contrata só metade dos temporários de anos anteriores

Em anos anteriores era registrado o dobro
| 06/12/2016
- 20:53
Comércio ‘repete’ 2015 e contrata só metade dos temporários de anos anteriores

Em anos anteriores era registrado o dobro

Cerca de 5 mil novos postos de trabalhos serão criados com as contratações de trabalhadores temporários para reforçar o efetivo do comércio de Mato Grosso do Sul neste Natal. A estimativa é da Fetracom/MS (Federação dos Empregados no Comércio e Serviços de MS) e é equivalente ao que foi verificado em 2015 e metade do número de números anteriores.

Segundo Pedro Lima, presidente da Fetracom, as novas contratações representam 5% dos cerca de 100 mil comerciários efetivos nos 79 municípios do Estado. As vagas, que começaram a ser preenchidas no final de novembro, continuam a ser completadas até meados de dezembro.

“Em outros anos, fora dessa crise econômica que assola o País nesses últimos tempos, a média de contratação de temporários para as vendas de final de ano era de 10% desses 100 mil empregados. Hoje, nossa realidade é outra e estimamos em apenas 5% de contratações nesse período”, explicou.

As previsões para Campo Grande acompanham as expectativas do estado. Idelmar da Mota Lima, presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio, prevê a contratação de 2 mil trabalhadores temporários para este ano. Esse número também representa 5% dos 40 mil empregados efetivos do setor. “Também estamos otimistas com a recuperação gradativa da economia e acreditamos que 2017 será muito melhor que este ano.  

Interior

Entretanto o clima entre as lideranças sindicais é de otimismo. Pedro Lima, que preside também o Sindicato dos Empregados no Comércio de Dourados disse que lideranças sindicais dos comerciários dos demais municípios de MS, na sua maioria, tem esperanças com as vendas de final de ano e a consequente contratação de mão de obra para reforçar as vendas.

Segundo Divino José Martins, presidente do Sindicato dos Comerciários de Ponta Porã, município 346 quilômetros distante de Campo Grande, as vendas estão boas na cidade, mesmo antes desse período de final de ano. Ele informou que com a alta do dólar, houve uma inversão do comércio na fronteira, ao longo deste ano: “Foram os paraguaios que vieram para o comércio brasileiro comprar de tudo, alimentos, eletrodomésticos e outros produtos”, explica o que fez as contratações iniciarem mais cedo naquela cidade.

Corumbá, que fica a 444 quilômetros da capital, também apresenta cenário animador. Segundo o líder sindical dos comerciários do município, Orlando Terredor Pinto, foram observadas inúmeras contratações e ele acredita que até meados de dezembro, deverão ser contratados em torno de 500 temporários para suprir a demanda local, que conta com cerca de 5.500 empregados efetivos. “Muitos desses temporários serão efetivados, já que 2017 sinaliza positivamente para nossa economia”, afirma.

Efetivação

Apesar da estagnação percebida em relação a 2015, há a expectativa que muitos dos temporários sejam efetivados. É o que presidente da Fetracom espera, já que o próximo ano deverá ser melhor que 2016. “Além disso, é preciso lembrar que muitos desses empregados temporários acabam se revelando bons funcionários, que acabam conquistando um lugar definitivo na empresa”, explica.

A diretoria da Fetracom/MS tem acompanhado o desenvolvimento do comércio, por intermédio de suas lideranças sindicais da base, que estão ligadas diretamente aos empregados, “por isso temos essa visão otimista  que tempos melhores virão e que a  crise econômica nacional será superada dessa forma: com a força do trabalho dos empregados em todos os setores de desenvolvimento deste nosso País”, afirmou Pedro Lima.

Veja também

Inscrições vão até o dia 19 de setembro

Últimas notícias