Operários da construção civil da Capital ganham 8,2% de reajuste salarial

O acordo foi firmado em Convenção Coletiva de Trabalho
| 26/05/2015
- 03:38
Operários da construção civil da Capital ganham 8,2% de reajuste salarial

O acordo foi firmado em Convenção Coletiva de Trabalho

8,2% é reajuste salarial dado aos operários da construção civil de Campo Grande, retroativos a 1º de março. O acordo foi firmado em CCT (Convenção Coletiva de Trabalho), entre o sindicato patronal e laboral,  de acordo com o presidente do Sintracom (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário de Campo Grande).

Ainda de acordo com o sindicato, o prêmio por assiduidade passou de R$ 100 para R$ 120  mensal, para os trabalhadores da construção civil. O percentual de 8,2%, segundo o líder sindical, é para os trabalhadores que ganham até R$ 1.664 mensais. Para quem ganha acima desse valor, o reajuste foi de 7,67%.

 “Foi um avanço considerável, pois o reajuste ficou bem acima da inflação. E esse percentual sobe ainda mais se juntarmos a ele o prêmio por assiduidade que recebeu um reajuste de 20%, que equivale a cerca de 2% sobre os salários. Somando tudo, o reajuste ficaria em torno de 10%, se fizermos essa soma”, explica Abelha Neto.

Com os novos reajustes, os salários dos trabalhadores na construção civil de Campo Grande ficaram assim, segundo o Sintracom:

Serviços gerais, R$ 801,00;

Servente, vigia e auxiliar de escritório, R$ 859,00

Meio Oficial, R$ 945,00

Oficial: Pedreiro, carpinteiro, encanador, eletricista, operador de betorneira, R$ 1.169,00

Técnico de segurança do trabalho, R$ 1.169,00

Motorista, R$ 1.169,00

Apontador, R$ 1.146,00

Almoxarife, R$ 1.204,00

Encarregado de obra e departamento pessoal, R$ 1.226,00

Mestre de obra, R$ 1.800,00

Com funcionários que trabalham com gesso, marmoaria e pré-moldados, o Sintracom fechou acordo salarial também para os trabalhadores nas áreas de gesso, marmoraria e pré-moldados de Campo Grande. Todos os que recebem salário de até R$ 1.664 terão reajuste retroativo a 1º de março, de 8,2% e para quem ganha acima desse valor, o aumento será de 7,67%.

Com o reajuste, segundo Abelha Neto, os ajudantes gerais passaram a ganhar R$ 876,42; Meio profissional, R$ 1.017,08 e os profissionais, R$ 1.388,80.

MOBILIÁRIO- Já os trabalhadores do setor mobiliário, ganharam aumento de 9%sobre seus vencimentos a partir de 1º de maio. Com os reajustes os salários passaram a vigorar com os seguintes valores:

Grupo “D”, salário de R$ 835,81;

Grupo “C”, R$ 872,53;

Grupo “B”, R$ 1.023,37;

Grupo “A”, R$ 1.298,09

Veja também

Banco de emprego começa semana com mais de 100 vagas para serviços gerais

Últimas notícias