Enquanto os dias de carnaval são época de festa para os brasileiros, para milhões de trabalhadores é um momento de aproveitar pra aumentar a renda. Os dias de são vistos como importante reforço nos salários, principalmente dos vendedores ambulantes.

“O carnaval é o nosso 13º salário”, disse a vendedora Maria do Carmo, que é conhecida como ‘Maria dos Camelôs’. Ela é fundadora e coordenadora-geral do Movimento Unido dos Camelôs (Muca). A reportagem da Agência Brasil mostra que, para muitos vendedores, é quando os profissionais conseguem por em dia muitas contas. “É quando a gente consegue tirar grana pra pagar IPVA, IPTU, comprar material escolar das e muitos fazem reformas nas casas também.

Hoje, com 49 anos, ela conta que, desde os 20, vende bebidas no bairro de Santa Teresa, na região central do . Em um dia de boa movimentação, chega a faturar até ‘R$ 2 mil’ num único dia.

Estimativa da Prefeitura do Rio de Janeiro é que o  carnaval deste ano deve movimentar R$ 5 bilhões na economia carioca. Recursos nas mais diversas atividades, desde hotelaria à publicidade até consumo dos produtos em geral. Tem gente que confecciona artesanato ao longo do ano e também aproveita a data para aumentar o faturamento. “A melhor data para vender é, sem dúvida, o carnaval. Já fui camelô de praia, de sanduíche natural, churrasquinho, sempre vendendo nas ruas”, disse Cristiane Oliveira, de 56 anos.

Em Copacabana, ela comercializa os itens que produz, como: cordões, bolsas e pulseiras. E, com este trabalho, ela lembra, com muita alegria, que conseguiu pagar escola particular para a filha, que hoje tem 26 anos. A filha vai se formar em veterinária neste ano, numa Faculdade Federal, para o orgulho da mãe.

No Rio de Janeiro são mais de 450 blocos, alguns atraem verdadeiras multidões. “Imagine um bloco como o ‘Bola Preta’, que coloca milhões de pessoas na rua, se os bares vão atrás para vender cerveja? Quem estão ali são os camelôs, servindo bebidas geladas. Somos os garçons da festa”, ressaltou ‘Maria do Camelô’.

Com informações da Agência Brasil.
Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil.

Saiba Mais