O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse que as novas metas fiscais estabelecidas pelo governo para os próximos anos já foram precificadas pelo mercado. Ele ponderou que o trabalho a partir de agora é avaliar se as previsões dos investidores serão ou não alteradas.

Campos Neto participa de uma reunião com investidores em Washington. Durante sua apresentação, ele afirmou que o BC não alterou o seu cenário, mas explicou que mudou o “guidance” para obter maior visibilidade em meio às incertezas nos cenários internacional e doméstico. Ele disse que, se as incertezas diminuem, a autoridade monetária poderá seguir seu passo normal.

Campos Neto reforçou que o trabalho da autoridade monetária não é de “enviar mensagens” para o governo ou dizer o que deve ser feito na política fiscal, mas sim interpretar o quadro econômico Ele repetiu que o cenário externo ficou mais adverso e a situação fiscal no mundo continuará em debate, assim como a realidade das contas públicas no Brasil.

O presidente do BC destacou que a autoridade monetária continuará tomando ações necessárias para ancorar as expectativas de inflação. Segundo ele, o balanço de riscos pode mudar em cenário de impacto significativo das incertezas.