nunca exportou tanta quanto em 2023. Foram 7,6 milhões de toneladas do grão enviadas ao mercado externo, que geraram faturamento de 3,9 bilhões de dólares no ano passado.

Os dados são do MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria, e Serviços), compilados pela Semadesc (Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação). Em 2023, a soja representou 37,5% de todos os produtos exportados por Mato Grosso do Sul.

Mesmo sendo líder na pauta de exportações há anos, em 2023 as vendas do grão para o mercado exterior cresceram 91% em relação a 2022. Para se ter uma ideia da expressiva participação da soja na balança comercial, o segundo item mais exportado no Estado é a celulose, que representa 14% da pauta.

Exportação é reflexo de produção recorde

Na safra 2022/2023, Mato Grosso do Sul produziu 15 milhões de toneladas de soja, com produtividade média de 62,4 sacas por hectare. A boa quantidade de chuvas e ajuda do clima foram essenciais para que o Estado atingisse mais um recorde de produção.

Segundo as entidades Famasul e Aprosoja/MS, desde 2003 Mato Grosso do Sul tem resultados crescentes na exportação de soja, com exceção de 2016, 2019 e 2022, quando houve quebras de safra.

O maior volume de oferta do produto local e a demanda externa aquecida favoreceram o crescimento das exportações de soja do MS, como explica o Analista de Economia, Jean Américo.

“Outros pontos que alavancaram a produção foram as condições climáticas favoráveis para a safra, tecnologia no campo e a produção sustentável dentro da porteira. A soja sul-mato-grossense atende a diversos mercados internacionais, demonstrando a qualidade do produto e o respeito com o meio ambiente”, conclui.

(Priscilla Peres, Jornal Midiamax)