Está aberto o prazo para declarar o referente ao exercício de 2022 e financiamentos devem ser declarados. Quem tem financiamento de imóvel, veículo ou empréstimos deve prestar contas à .

A prestação de contas é obrigatória para todos aqueles que tiveram rendimentos tributáveis superiores a R$ 28,5 mil, o equivalente a R$ 2.380 por mês. É obrigatório fazer a declaração de bens como imóveis e veículos.

O prazo começou na quarta-feira (15) e segue até 31 de maio. No Mato Grosso do Sul, são esperadas 552 mil declarações de contribuintes, segundo a Receita Federal.

Saiba como declarar imóveis financiados

Se você tem um imóvel financiado é necessário informar à Receita Federal, seja ele pronto ou ainda na planta. Para evitar erros, é importante ter em mãos vários documentos, como contrato de financiamento, extratos de se utilizado e comprovantes de gastos com impostos.

Com tudo separado, o contribuinte vai selecionar a aba ‘bens e direitos’, clicar em ‘novo’ e selecionar o grupo ao qual o imóvel pertence. Em ‘discriminação’ vai inserir os detalhes do financiamento, entre eles o endereço completo do imóvel e se há registro em cartório.

O sistema do Imposto de Renda é bem intuitivo, mas alguns detalhes são importantes. É necessário se atentar para o código do imóvel, se é apartamento, casa ou comercial. Dados de localização, IPTU e data da aquisição são pedidos em seguida.

No campo ‘discriminação’ o contribuinte deve fornecer o máximo de informações possíveis sobre o financiamento, como a forma de pagamento, a quantidade de parcelas, se houve uso do FGTS.

Uma vez declarado, nos anos seguintes o contribuinte pode apenas atualizar a situação do bem no ano anterior, o que inclui o valor e as parcelas pagas nos últimos doze meses.

Confira como declarar veículos

Veículos também devem entrar na declaração do imposto de renda, seja quitado, financiado ou consórcio. Para isso, o contribuinte deve acessar a aba ‘bens e direitos’, selecionar o ‘grupo 2 – Bens Móveis’ e o item ’01 – Veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc.

Dados como a localização do veículo e o número de Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) devem ser informados. Em ‘discriminação’ entra dados de onde o veículo foi comprado, se é financiado ou não, número da placa, valor do negócio, entre outros.

Assim como com os imóveis, uma vez declarado, nos anos seguintes o contribuinte pode apenas atualizar a situação do bem no ano anterior, com o valor em parcelas que foram pagas.

Veja como declarar empréstimos

Contribuintes que possuem empréstimos devem declarar no Imposto de Renda, quando o valor for superior a R$ 5 mil. O empréstimo deve ser declarado na aba ‘dívida e ônus reais’ e informado o código do agente financeiro que concedeu o valor.

No campo ‘discriminação’ entram as informações do empréstimo, como motivo de contratação, número de parcelas e dados do agente financeiro. No campo ‘situação’ devem entrar dados financeiros, como número de parcelas pagas, valor total pago, e se houve antecipação de parcelas.

Programa está disponível

O programa gerador está disponível no site da Receita Federal, no Centro Virtual de Atendimento a Contribuintes (e-CAC), ou aplicativo Meu Imposto de Renda, para smartphones e tablets.

Clique nos links abaixo: