Os preços dos combustíveis fósseis nos postos de abastecimento do Brasil ficaram mais uma vez próximos da estabilidade, com pequena variação para baixo na gasolina (-0,5%) e para cima no (0,4%), na semana de 30 de julho a 5 de agosto. As informações são do levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O preço médio da gasolina vendida nas bombas teve ligeira queda de 0,5%, para R$ 5,52 por litro, esta semana ante os sete dias imediatamente anteriores. No período anterior, esse preço médio foi de R$ 5,55 por litro, segundo a ANP.

Apesar das altas nos preços internacionais do petróleo e derivados, há estabilidade de preços nas refinarias da , que domina o mercado, desde 30 de junho.

O fato freia mudanças bruscas de preço ao consumidor final. Assim, o principal fator de influência para a ligeira queda foi o novo recuo dos preços etanol anidro, que representa 27,5% da mistura da gasolina A vendida nos postos.

O etanol anidro caiu 3,7% nas usinas paulistas na semana até 4 de agosto, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Superior de Agricultura da Universidade de (Cepea/Esalq-USP).

Segundo o levantamento, o preço do insumo cai há oito semanas em São Paulo, acumulando queda de 15,6% no período.

Diesel e GLP

O preço médio do diesel S10 subiu 0,4% nos postos de todo o Brasil, para R$ 5,00 por litro ante R$ 4,98 nos sete dias anteriores.

O produto tem ficado estável nessa faixa de preço há semanas, o que também está ligado à estabilidade de preços da Petrobras desde 16 de maio, data da última redução praticada pela estatal no preço do diesel aos distribuidores.

O diesel segue livre dos impostos federais (PIS/Cofins) até o fim do ano, ao contrário da gasolina, que já teve reoneração.

Já o gás liquefeito de petróleo (GLP), ou gás de cozinha, também apresentou queda leve, de 0,2%, no preço médio do botijão de 13 quilos essa semana. O produto passou a custar R$ 101,38 na média nacional, ante R$ 101,63 nos sete dias anteriores.