A inflação de Campo Grande subiu 0,28% em outubro, influenciada pela alta de vários setores como saúde e cuidados pessoais, artigos de residências e vestuário. Entre janeiro e outubro de 2023, a variação acumulada da inflação soma 3,83%.

O segmento de artigos de residências teve a maior alta em outubro, influenciado principalmente pelo preço dos aparelhos de ar condicionado. O produto teve aumento no preço devido à grande procura, influenciada pelas temperaturas acima da média em Campo Grande.

Os dados são do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (10). Outro item que teve alta em outubro foi o vestuário, devido ao aumento no preço de roupas e sapatos.

De acordo com o IBGE, a queda no preço do botijão de gás, da banana e ovos influenciou para queda no preço dos grupos de habitação e alimentação.

Inflação do país é de 3,75% no ano

O IPCA de outubro foi de 0,24%, quarto mês consecutivo no campo positivo. Em setembro, a variação havia sido de 0,26%. No ano, o IPCA acumula alta de 3,75% e, nos últimos 12 meses, de 4,82%, abaixo dos 5,19% observados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2022, a variação havia sido de 0,59%.