Marcado pela data-limite de pagamento da primeira parcela do 13º salário, o mês de novembro também vem carregado na expectativa e ansiedade do trabalhador campo-grandense pôr as mãos no dinheiro, utilizado para diversos fins: da organização financeira ao custeio dos pequenos ou grandes prazeres.

Assim, com o dinheiro extra à vista, muita gente já tem definido o que fazer com o “faz me rir” mais aguardado do ano. Na lista de intenções, o pagamento de dívidas é disparado a principal prioridade. Já para quem não se endividou tanto durante o ano, viajar e presentear a família são opções que estão em evidência.

“Eu estou contando os dias para receber, mas o dinheiro já está comprometido com muitas contas que estão esperando para serem pagas. Tem matrícula e material escolar de criança e os impostos que estão vindo aí”, comenta Nathália de Souza, que trabalha no setor comercial de uma empresa de tecnologia em Campo Grande.

Aposentado, Anselmo Aquino também é da turma dos que vão pagar contas. No entanto, também vai encontrar o jeito de poupar parte da renda extra. “Vou comprar um presentinho para a mulher, preparar uma ceia para o dia de Natal e reservar o que sobrar para mais tarde. Tem que segurar, não pode ir gastando de qualquer maneira, até porque, o dinheiro não vem fácil”, aconselha.

Gabriel pretende aproveitar o dinheiro extra para viajar para o Rio de Janeiro. (Foto: Nathalia Alcântara, Jornal Midiamax)

Além das responsabilidades do dia a dia, o 13º também é oportunidade para “luxar”, assim como planeja o supervisor comercial Gabriel dos Santos. “Estou muito animado porque quero dar uma viajada, acho que vou para Cabo Frio, no Rio de Janeiro”, comenta.

Já para a babá Thatiana dos Santos, o dinheiro vai garantir a reforma do banheiro. “Estou na expectativa, e quem não está?”, brinca.

https://youtu.be/EE7b4_ez224

R$ 3,7 bilhões na economia de MS

Entre o fim de novembro e dezembro, 1.126 milhão de trabalhadores de Mato Grosso do Sul vão receber o décimo terceiro salário este ano. O montante vai somar R$ 3,77 bilhões que serão injetados na economia estadual, valor 19% maior que no ano passado.

Segundo levantamento do Dieese/MS (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), a diferença do montante de 2022 e 2023 soma R$ 592 milhões e 46,5 mil pessoas.

O total do décimo terceiro dos trabalhadores representa 2,2% do PIB (Produto Interno Bruto) de Mato Grosso do Sul. O Dieese/MS ainda estima que cada trabalhador deva receber valor médio de R$ 2,9 mil.

Qual a data do pagamento?

A lei estabelece o pagamento da primeira parcela até 30 de novembro; e a segunda até 20 de dezembro. Já para empresas que optarem pelo pagamento de apenas uma parcela, o repasse deve ser feito até o dia 20 de dezembro.

Têm direito a receber o benefício os empregados com carteira assinada, aposentados, pensionistas e servidores. Essa gratificação assegura que, a cada mês trabalhado, o trabalhador tem direito a receber um valor extra correspondente a 1/12 (um doze avos) de seu salário no ano.

Como calcular?

O cálculo do 13º salário é simples, basta dividir o valor da remuneração integral por 12 e multiplicar o resultado pelo número de meses trabalhados.

Conforme o TST (Tribunal Superior do Trabalho), outras parcelas de natureza salarial, como horas extras, adicionais (noturno, de insalubridade e de periculosidade) e comissões, também entram no cálculo.