O novo Bolsa Família começa a ser pago nesta quarta-feira (18) para todo o Brasil. Em Mato Grosso do Sul, 216.537 famílias receberão o benefício médio de R$ 600. O jornal Midiamax preparou um guia completo do programa, abordando detalhes do calendário, valores e quem pode receber o auxílio.    

Conforme divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome. Para saber o dia em que o benefício ficará disponível para saque ou crédito em conta bancária, a família deve observar o último dígito do NIS (Número de Identificação Social), impresso no cartão de cada titular. As datas definidas também são válidas para o pagamento do Auxílio Gás, ressaltando que o programa disponibiliza parcelas bimestralmente.

Para cada dígito final do NIS há uma data mensal correspondente. Os pagamentos são disponibilizados na sequência de 1 a zero, durante os últimos dez dias úteis de cada mês. A exceção é durante o mês de dezembro, quando todos os pagamentos ocorrem até o dia 22. Se o NIS do titular termina com o número ‘1’, em janeiro, por exemplo, os pagamentos começam no dia 18. (Como mostrado no calendário abaixo).

(Arte / Governo Federal)

As parcelas mensais ficam disponíveis para saque por 120 dias após a data indicada no calendário. Os beneficiários podem conferir o extrato de pagamento na ‘Mensagem Auxílio Brasil’, com o valor do benefício.

Benefício de R$ 600 por mês

A Medida Provisória 1155/2023 garantiu o valor de R$ 600 mensais para cada beneficiário. O texto assinado pelo presidente da República, Lula (PT), assegura um complemento ao orçamento federal para garantir o mínimo de R$ 600 mensais e o pagamento de 100% do Auxílio Gás.

Os recursos ficaram disponíveis após negociação do Governo de Transição com o Congresso Nacional. A aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 32/2022) permitiu a readequação do orçamento.

Acréscimo de R$ 150 a mais por criança

O Bolsa Família com acréscimo de R$ 150 por família com crianças de até seis anos começa a ser pago em março. O anúncio foi feito pelo ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, após reunião com o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 11 de janeiro, no Palácio do Planalto.

“Teremos o pagamento, a partir de março, do ‘novo Bolsa Família’ acrescido dos R$ 150 por criança com até 6 anos, para famílias beneficiárias que preenchem os requisitos”, destacou Wellington Dias após o encontro com o presidente Lula. O MDS também está em processo de pactuação com os entes federativos para reestruturar a Rede SUAS (Sistema Único de Assistência Social) e realizar a atualização do Cadastro Único.

Famílias que possuem crianças de até 6 anos e são beneficiárias do Bolsa Família vão receber um adicional de R$ 150. A informação é do ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias.

Conforme o titular da pasta, famílias só poderão acumular até duas parcelas extras. Como o valor do benefício é de R$ 600, uma família com duas ou mais crianças de até 6 anos, poderá receber até R$ 900 por mês.

Quem tem direito ao Bolsa Família?

Podem participar do Programa as famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza que tenham, em sua composição, gestantes, mães que amamentam, crianças, adolescentes e jovens entre 0 e 21 anos incompletos.

As famílias extremamente pobres são aquelas que têm renda familiar per capita mensal igual ou inferior a R$ 105,00. As famílias pobres são aquelas que têm renda familiar per capita de R$ 105,01 e R$ 210,00.

Para se candidatar ao Programa, é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e tenha atualizado seus dados cadastrais nos últimos 2 anos.

Quem atende aos requisitos de renda e não está inscrito, pode procurar o responsável pelo Programa Auxílio Brasil na prefeitura de sua cidade para realizar o cadastramento no Cadastro Único.

Mantenha seus dados sempre atualizados, informando à prefeitura qualquer mudança de endereço, telefone de contato e composição da sua família, como: nascimento, morte, casamento, separação e adoção.

O cadastramento é um pré-requisito, mas não implica a entrada imediata da família no Programa. Mensalmente, o Ministério da Cidadania seleciona, de forma automatizada, as famílias que serão incluídas para receber o benefício.

Onde consultar o Bolsa Família?

Em caso de dúvidas, há três canais de atendimento. O número 121, do Ministério da Cidadania, reúne informações e é a central para denúncias.

O número 111 é o canal de Atendimento ao Cidadão da Caixa Econômica Federal, e congrega informações sobre o cartão e o saque do benefício.

Também é possível acompanhar as principais informações sobre o benefício pelo aplicativo do programa, da Caixa Econômica Federal, disponível para download gratuito nas lojas virtuais. 

Beneficiados em Mato Grosso do Sul

Conforme a Senarc (Secretaria Nacional de Renda e Cidadania), somente em Mato Grosso do Sul, 216.537 famílias devem receber o novo Bolsa Família. Esse número corresponde a um valor total repassado de R$ 133.426.095,00. O valor médio recebido por cada família será de R$ 616,97.