O ministro da e Pecuária, Carlos Fávaro, anunciou nesta quinta-feira (23) a do embargo de exportação de carne bovina para a China. Com isso, os três frigoríficos habilitados e localizados no interior de Mato Grosso do Sul poderão retomar atividade econômica para o território chinês.

Conforme informações da Semadesc (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Ciência, Desenvolvimento, Tecnologia e Informação) a decisão do governo chinês de suspender o embargo à compra de carne bovina brasileira já era esperada. O anúncio foi feito após reunião com o ministro da Administração Geral da Aduana Chinesa (GACC), Yu Jianhua, na manhã de hoje.

Mato Grosso do Sul já exportou 61.540 toneladas de carne bovina para a China. Vale ressaltar que estão habilitados para a atividade três frigoríficos do Estado, localizados em Iguatemi, e Aparecida do Taboado. Segundo a Semadesc, todos são independentes e não vinculados às grandes cadeias produtivas.

Ampliação cota-China

Com a suspensão do embargo à importação de carne bovina pela China, Jaime Verruck, secretário à frente da Semadesc, afirma que deseja ampliar o credenciamento de frigoríficos da cota-China e que mais de 100 frigoríficos buscam fazer parte do boi-China.

“É importante, também, agora, com essa do presidente Lula, que a China amplie esse número de frigoríficos credenciados, o que irá favorecer a pecuária sul-mato-grossense tanto na participação no mercado, como e, principalmente, na remuneração ao produtor”, diz.

A partir da nova decisão, os frigoríficos poderão retomar os abates e a expectativa é que isso resulte na melhora dos preços pagos aos produtores.