Mato Grosso do Sul gerou 40 mil vagas de emprego formais em 2022, maior resultado dos últimos dois anos. Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), o Estado tem mais de 600 mil pessoas empregadas com carteira assinada.

No ano passado, mais de 360 mil pessoas foram admitidas e outras 320 mil desligadas, gerando saldo de 40.307 empregos formais. Em 2021 o saldo anual de vagas foi de 37.372 e em 2020, primeiro ano da pandemia de Covid-19, o saldo foi de 6.429 vagas.

Conforme os dados do Caged, Mato Grosso do Sul teve saldo positivo em 11 meses, com destaque para fevereiro, quando foram geradas 7.597 vagas de emprego formais. Em dezembro, as demissões somaram 6.621 vagas, maior resultado dos últimos dois anos.

O setor de serviços foi de longe o principal responsável pela geração de emprego no Estado no ano passado. Foram quase 16 mil vagas geradas no setor, com crescimento de 7,48% em relação a 2021.

O comércio foi o segundo setor que mais gerou emprego em 2022, sendo 8.103 vagas formais de trabalho e aumento de 5,8% em relação a 2021. A construção civil teve saldo de 5.671 empregos, mas se destaca pelo crescimento de 25% nas contratações em relação a 2021.

A indústria teve 4.079 vagas geradas em 2022, enquanto a agropecuária foi responsável por 6.472 empregos formais, conforme números do Caged.

Em Campo Grande estão 12.861 das vagas geradas em 2021, com destaque para serviços seguido do comércio. Dourados, segunda maior cidade do Estado, as vagas somaram 2.930, também com destaque para o setor de Serviços. Com uma grande indústria em construção, Ribas do Rio Pardo foi responsável por 4.930 vagas em 2022, com destaque para a construção civil.