Confira as cidades que mais geraram empregos no ano em MS segundo o Caged

Geração de empregos é reflexo da realização de grandes projetos que trazem investimentos vultosos para o Estado
| 06/06/2022
- 18:01
Mais sul-mato-grossenses conseguiram empregos com carteira assinada
Foto: Leonardo de França

A geração de empregos em Mato Grosso do Sul vem passando por transformações. Os cinco municípios com maiores índices empregatícios mudaram: e Ponta Porã não fazem mais parte do chamado “Top 5”. As duas cidades foram substituídas por Ribas do Rio Pardo e Nova Andradina, que são municípios que vêm recebendo investimentos vultosos.

Entre os cinco municípios com maior geração de empregos em , Campo Grande segue em primeiro com um saldo de 552 postos formais em abril e 5.025 no acumulado do ano, com destaque para comércio, serviços e construção civil. Em segundo lugar aparece Três Lagoas com saldo de 453 empregos com carteira assinada em abril. Este número já é a diferença entre contratações e demissões. No acumulado do ano, Três Lagoas já gerou 1.805.

Dourados continua no TOP 5, mas caiu para a terceira posição. Isso porque e abril o saldo foi de apenas 30 postos de trabalho. A terceira posição foi mantida por causa do resultado do acumulado do ano, com saldo positivo de 1.509 empregos com carteira assinada, com o setor agropecuário comandando a economia, além do comércio.

Ribas do Rio Pardo aparece na quarta posição, com um saldo positivo de 354 empregos com carteira assinada em abril 1.395 no acumulado do ano. Neste caso, o destaque é a construção de uma nova fábrica de celulose da Suzano, totalizando quase R$ 15 bilhões em investimentos, com os setores de construção civil e comércio acompanhando a reboque.

Na quinta posição aparece o município de Nova Andradina, com saldo positivo de 117 postos formais e, no acumulado do ano, saldo de 538. Por lá, investimentos em infraestrutura do governo acabaram atraindo empresas. Nos últimos cinco anos, o município recebeu investimentos na ordem de R$ 260 milhões.

Veja também

Benefício de R$ 53 é pago a 5,68 milhões de famílias

Últimas notícias