O alto volume de no início de março levou a destruição de lavouras em alguns municípios de Mato Grosso do Sul. Além disso, o lamaçal prendeu máquinas agrícolas nos terrenos encharcados pela chuva, o que comprometeu a colheita

De acordo com o portal Sou Agro Net, cidades como Bela Vista, Maracaju, , , , Amambai, Coxim, Angélica e Itaporã foram alguns municípios prejudicados pelo forte volume de chuvas. 

Algumas cidades registraram acumulados acima dos 38 milímetros, com rajadas de vento de quase 80 quilômetros por hora, na última quarta-feira (1º).

Imagens mostram plantações em Maracaju, município distante a 159 km de Campo Grande, encharcadas por água e tratores com as rodas presas na lavoura devido à lama acumulada. 

A colheita no município avançou nas últimas semanas, mas o trabalho foi atrapalhado pelas chuvas. 

De acordo com a Aprosoja MS (Associação dos Produtores de e Milho de Mato Grosso do Sul), a produção estadual de soja deve alcançar 12,31 milhões de toneladas e cobrir 3,8 milhões de hectares na safra 2022/2023. 

A previsão do tempo do (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima) indica que até 18 de março são esperados acumulados de chuvas acima de 100 mm, com destaque nas regiões sul, sudoeste, oeste e norte/noroeste do estado.

Saiba Mais