Diretor do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Christopher Waller afirmou nesta sexta-feira, 20, que os juros nos Estados Unidos ainda não estão em níveis suficientemente restritivos para ter o impacto desejado sobre a inflação, mas explicou que as taxas estão bem próximas desse patamar.

Em evento do Conselho de Relações Internacionais, em Nova York, o dirigente afirmou que as expectativas do mercado para a taxa terminal dos juros estão perto do nível atual.

Waller disse que não espera relaxamento monetário este ano, mas admitiu que, se os investidores estiverem certos em suas previsões, ele não hesitaria em mudar de posição. No entanto, se a inflação voltar a subir, o aperto não deve parar, disse Waller

Segundo ele, para pausar a alta de juros, seria necessário analisar pelo menos seis meses de dados.

Moeda digital

O diretor também disse não ser “fã” de um projeto de emissão de moeda digital pelo próprio banco central, conhecida pela sigla em inglês CBDC.

Atividade

Waller demonstrou otimismo de que a economia dos Estados Unidos conseguirá alcançar o “pouso suave”, isto é, reduzir a inflação sem um impacto significativo sobre o emprego. “Se houver uma recessão, ela será breve e leve”, disse.

O dirigente afirmou que a atividade econômica norte-americana tem resistido bem ao processo de aperto monetário. De acordo com ele, a inflação deve continuar em queda ao longo deste trimestre, mas haja razões para “cautela” em relação ao ritmo.

Waller minimizou os efeitos da onda de demissões no setor de tecnologia dos EUA para o mercado de trabalho em geral. Na visão dele, a tendência é de que os profissionais demitidos sejam realocados facilmente em outras áreas da economia.

Para o Waller, o mercado de trabalho está “apertado” nos EUA, embora haja sinais de esfriamento da demanda nessa área.