A demanda de empresas de Mato Grosso do Sul por crédito teve retração de 3,3% em 2022. Os dados da Serasa Experian mostram que a média brasileira foi de retração, que não era visto desde 2020, primeiro ano da pandemia de Covid-19.

teve o 4º pior desempenho do país no ano passado. O pior foi o do Paraná, que viu a demanda por crédito retrair 14,9% em 2022. Na média brasileira, a retração foi de 0,2%.

De acordo com a Serasa Experian, a alta dos juros e o maior grau de incerteza na economia em 2022, afastaram as médias e grandes empresas do crédito. Apenas as micro e pequenas empresas mantiveram estável o nível de demanda por crédito em 2022 com relação ao ano anterior.

A , taxa básica de juros, acumula sucessíveis altas desde 2021 e atualmente está em 13,7% ao ano. Economista da Serasa Experian, Luiz Rabi explica que é natural que diante de um cenário de aumento de taxa de juros, haja diminuição da busca por crédito.

“A Selic alta torna o crédito mais caro para diminuir a demanda por crédito de empresas e consumidores e assim conter a inflação. A tendência é que nessas comparações anual/mensal os dados continuem recuando, justamente porque a taxa de juros continua alta”, explica que a tendência do mercado é que a Selic só comece a baixar no fim de 2023.