Cotidiano / Economia

Contribuição mensal de MEIs será mais cara a partir de fevereiro; confira novos valores

Pagamento de guia engloba todos os impostos municipais, estaduais e federais

Fábio Oruê Publicado em 05/01/2022, às 15h29

None
Foto: Divulgação

A partir do mês de fevereiro deste ano, a contribuição mensal dos 13 milhões de MEIs (Microempreendedores Individuais) no Brasil será reajustada em 9,24%. O reajuste é com base no atual salário mínimo de 2022 que passou de R$ 1.100 para R$ 1.212.

Todos os meses, o MEI precisa pagar o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). Essa contribuição é uma guia de pagamento que engloba todos os impostos municipais, estaduais e federais.

O valor mensal é de 5% do salário mínimo mais R$ 5 de ISS (Imposto Sobre Serviços) para o município, se a atividade for serviço, ou R$ 1 de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para o Estado, se for comércio ou indústria.

Sendo assim, com o reajuste do salário mínimo para R$ 1.212, o valor de contribuição do DAS também passará por reajuste a partir de 20 de fevereiro. Assim, a cota de janeiro, que vence no dia 20, permanecerá com o valor antigo de R$ 55.

Deste modo, o novo valor destinado para o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) neste ano será de R$ 60,60. A atualização ficou um pouco abaixo do reajuste do salário mínimo de 2022 que subiu 10,18%.

O restante da contribuição mensal varia de acordo com o ramo de atuação. O boleto mensal pode ser gerado no Portal do Empreendedor. A página irá direcionar o MEI para o site PGMEI, no qual será solicitado o CNPJ da empresa.

Ao contribuir para o INSS, o MEI tem direito à aposentadoria por idade, auxílio-doença, salário-maternidade, auxílio-reclusão e pensão por morte. 

Jornal Midiamax