Campo Grande abre 552 postos de trabalho em abril; veja setores que mais contrataram

Campo Grande registrou índice negativos nos setores de agropecuária, com desaquecimento de -0,32% e da indústria com -0,54%
| 06/06/2022
- 15:58
Terrenos públicos
Campo Grande vista de cima. - (Foto: Marcos Ermínio/Jornal Midiamax)

Campo Grande registra saldo positivo de apenas 0,26% em abril deste ano, segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho. Em termos quantitativos, foram gerados 10.496 empregos com carteira assinada, mas os desligamentos – ou demissões – somaram 9.944, sobrando um pequeno saldo positivo de 552 postos formais de trabalho.

No acumulado do ano, os números são melhores, o que comprova o ritmo mais lento de abril. De janeiro a abril deste ano, as admissões somaram 45.861, contra 40.836, resultando em uma variação positiva de 5.025 empregos com carteira assinada – uma variação de 2,37%. Já no período relacionado aos últimos 12 meses, o total de admissões foi de 124.223, contra 111.164 demissões, proporcionando um saldo positivo 13.059, o que dá uma variação positiva de 6,42%.

Campo Grande tem comércio, serviços e construção civil como geradores de emprego             

Quando a geração de empregos formais com carteira assinada é analisada por setor, a vocação do município fica voltada para o setor terciário, de comércio e , mas a construção civil não deixou por menos. Fora isso, indústria e agropecuária tiveram desempenho que resultaram em variações negativas, ou seja, o número de demissões superou o de contratações.

Em abril deste ano, o número de contratações na agropecuária foi de 163, mas o de demissões atingiu 175, registrando saldo negativo de -12, o que dá uma variação negativa de -,032%. Outro setor que apresentou desempenho negativo foi a indústria: 808 contratações e 928 demissões, ficando com um saldo negativo de -120 e uma variação, também negativa, de -0,54%.

No comércio, as contratações somaram 3.077 e as demissões 2.769, resultando um saldo positivo de 308 e uma variação de 0,56%. Na contração civil, o número de admitidos somou 1.018 e ode demitidos 981, com mais um saldo positivo 37 postos formais, ou seja, variação de 0,29%. No serviços, o número de contratações chegou a 5.430 e o de demissões 5.091, registrando saldo positivo de 339 empregos e variação de 0,29%.

No acumulado do ano, os números estão melhores. A exceção é o setor de agropecuária com variação negativa de -0,83%, O número de contratações foi de 607, mas o de demissões chegou a 636, gerando saldo negativo de -31. No comércio, as contratações chegaram a 12.115, e as demissões totalizaram 11.664, proporcionando variação de 0,82%.

A construção civil registrou a maior variação no período com 4,66%, resultante de 4.213 contratações e 3.640 demissões e saldo positivo de 573. A indústria – no período de janeiro a abril – registrou variação 0,59%, com 3.511 admissões, 3.380 demissões e saldo positivo de 131 postos formais com carteira assinada. Já o setor de serviços teve desempenho melhor: 25.415 contratações, 21.514 demissões, saldo positivo de 3.901 e variação de 3,3%.    

Veja também

A Receita Federal inicia, na quinta-feira (30), o pagamento do segundo lote da restituição do...

Últimas notícias