Cotidiano / Economia

Comerciantes de Campo Grande se recuperam de prejuízos após queda do Whats: ‘perdi R$ 2 mil em um dia’

Queda das redes sociais causou transtornos aos microempreendedores

Mariane Chianezi e Ranziel Oliveira Publicado em 05/10/2021, às 15h25

None
Marcos Ermínio, Midiamax

Muito mais que um meio de entretenimento e comunicação com amigos e familiares, as redes sociais se tornaram indispensáveis na vida dos microempreendedores. Após a queda global do WhatsApp, Facebook e Instagram nesta segunda-feira (4), os comerciantes de Campo Grande impactados com a falha ainda se recuperam dos prejuízos nesta terça-feira (5).

Autônomo, Daniel Alexandre, de 29 anos, vende capinhas e películas de celulares. Ele disse que somente ontem, quando a queda das redes sociais aconteceu por mais de seis horas, deixou de vender R$ 2 mil.

“Sou atacadista e perdi mais ou menos R$ 2 mil. Vendo tudo pelo WhatsApp e, se não tem [contato com os clientes pela rede social], não tem lucro”, disse. Daniel também disse que não vê alternativa caso outra pane aconteça.

[Colocar ALT]
Ivete, gerente de loja de cosméticos | Foto: Marcos Ermínio, Midiamax

Mostrar os produtos nas redes sociais com fotos e vídeos e fazer uma pré-venda para o cliente é uma das estratégias de venda de uma loja de cosméticos da Rua 14 de Julho.

Ivete Mariotti, gerente, disse que no Instagram é feita a divulgação dos produtos e das novidades, o que gera uma clientela muito boa. Com a pane nas redes sociais, ela comenta que a loja deixou de vender 10% do normal.

“Impactou, sim. Temos delivery o dia todo. A página do Instagram da loja direciona para o WhatsApp e aí formamos a venda. O forte da loja é o presencial, mas as redes sociais são indispensáveis”, comentou.

O segmento de alimentação também teve prejuízos. Ivinéia Alves de Lima, de 44 anos, é dona de um restaurante na Rua Dom Aquino e conta que na tarde de ontem estranhou que os pedidos de marmitas por delivery via WhatsApp pararam.

“Os pedidos começam cedo aqui, por volta das 8h. Aí começamos a fazer as entregas. Ontem, por volta do meio-dia estranhei, aí pensei ‘ué, as entregas pararam?’ Aí me disseram que o WhatsApp estava fora do ar”, comentou. 

[Colocar ALT]
Ivinéia, dona de restaurante | | Foto: Marcos Ermínio, Midiamax

A comerciante relata que deixou de vender cerca de 10 marmitas. Os pedidos foram menos que o de costume, mas a situação não foi pior graças às encomendas feitas bem cedo na segunda-feira (4).

Queda global nas redes sociais

Após mais de seis horas em completo “apagão” nesta segunda-feira (4), o Facebook, Instagram e WhatsApp, todos do mesmo grupo empresarial, tiveram volta gradativa somente no fim da tarde.

Tudo começou quando usuários das principais redes sociais foram pegos de surpresa no final da manhã com o colapso geral de todos os aplicativos de relacionamento do grupo.

O site Downdetector registrou pico de reclamações de instabilidade para o WhatsApp, Facebook, Messenger e Instagram. Apenas o Twitter, como sempre, seguiu intacto e funcionando normalmente. Inclusive, por lá, o assunto mais comentado foi justamente o "WhatsApp". 

Pouco se sabe sobre o que causou a queda, mas especialistas já têm uma hipótese. Oficialmente, as plataformas reconheceram a falha global e afirmam que trabalharam para solucionar o problema rapidamente. Entre especialistas, a principal hipótese é que se trate de um erro de DNS, que é como um GPS ou "agenda de contatos" responsável por levar os internautas às páginas.

Antes de Mark Zuckerberg, o primeiro executivo da empresa a se pronunciar foi Mike Schroepfer, diretor de tecnologia do Facebook.

"Sinceras desculpas a todos os afetados por interrupções nos serviços do Facebook no momento. Estamos enfrentando problemas de rede e as equipes estão trabalhando o mais rápido possível para depurar e restaurar o mais rápido possível", disse.

Jornal Midiamax