Cotidiano / Economia

Campo Grande tem maior inflação oficial entre capitais em 2020, diz IBGE

A inflação oficial de 2020, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), ficou em 6,85% em Campo Grande, a maior entre as 16 capitais analisadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Conforme divulgado pelo governo, o índice registrou variação de 1,51% em dezembro, após alta de 0,87% no mês anterior. O […]

Gabriel Maymone Publicado em 12/01/2021, às 09h09 - Atualizado às 15h13

Supermercados não poderão abrir após às 20h. (Foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
Supermercados não poderão abrir após às 20h. (Foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press) - Supermercados não poderão abrir após às 20h. (Foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

A inflação oficial de 2020, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), ficou em 6,85% em Campo Grande, a maior entre as 16 capitais analisadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Conforme divulgado pelo governo, o índice registrou variação de 1,51% em dezembro, após alta de 0,87% no mês anterior. O IPCA é o preço médio de produtos e serviços oferecidos ao público final.

O resultado superou em 2,2% a inflação observada no ano passado na Capital, que ficou em 4,65%. Também, o índice ficou acima da inflação registrada no Brasil, que foi de 4,53% no ano.

O que pesou no bolso em 2020?

Disparado o que mais pesa no bolso do cidadão é o gasto com alimentação. Em 2020, os itens desse grupo tiveram aumento médio de 14,09% no preço nos mercados. Os disparos maiores ocorreram a partir de agosto.

inflação
Carne foi o item que mais pesou na inflação de 2020. (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

Então, as altas que mais impactaram no bolso do brasileiro foram: carne (17,97%), arroz (76,01%) e frutas (25,40%). Veja abaixo a tabela completa:

Campo Grande tem maior inflação oficial entre capitais em 2020, diz IBGE

Assim, um dos fatores que pesou no bolso das pessoas foi o custo da energia elétrica, que neste ano ficou em 11,22% em Campo Grande, segundo o IBGE. Se somado com a alta do ano passado – de 15,83%, temos uma alta de 27,05% em dois anos nas contas de luz.

Entre os combustíveis, o IBGE aponta que apenas a gasolina apresentou alta em 2020: 8,65%. Por outro lado, óleo diesel teve redução de 4,43% no preço nos postos e o etanol ficou 3,39% mais barato.

Além disso, outros itens apresentaram alta nos preços e influenciaram no resultado como: Tv, som e informática (18,75%), higiene pessoal (3,52%), automóvel novo (4,03%), aluguel residencial (2,77%) e botijão de gás (9,24%).

Jornal Midiamax