A inflação acumulada nos últimos 12 meses é de 2,52% na Capital

registrou deflação de 0,27% no mês de julho, de acordo com o IPC/CG (Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande) do Nepes (Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais) da Uniderp. A taxa é a menor desde 2013, quando atingiu 0,35%. Em junho deste ano, a deflação ficou em 0,15%.

O principal responsável pelo resultado, foi o item Alimentação, que registrou quedas nos preços da carne bovina. Os grupos de Habitação e Transportes tiveram índices inflacionários positivos.

 “A Alimentação também está tendo uma grande contribuição neste ano para frear a inflação, com um índice acumulado de -2,57%”, esclarece o coordenador do Nepes, Celso Correia de Souza.

A inflação acumulada nos últimos 12 meses, em Campo Grande, é de 2,52%, índice abaixo do centro da meta estabelecida pelo CMN (Conselho Monetário Nacional), que é de 4,5%. No acumulado deste ano, a inflação registrada caiu de 1,29% para 1,01%.

O grupo Habitação, que possui o maior peso de contribuição para o cálculo do índice mensal, apresentou alta de 1,65%, motivado, principalmente, pelos aumentos nas contas de energia elétrica, com a mudança da bandeira tarifária para amarela e, também, em alguns eletrodomésticos.

Queda de preços também foi constada com a carne vermelha bovina. Treze, dos 15 cortes pesquisados pelo Nepes da Uniderp apresentaram reduções. São eles: contrafilé (-13,41%), coxão mole (-9,24%), lagarto (-6,44%), acém (-4,56%), fígado (-3,54%), costela (-3,43%), alcatra (-3,24%), peito (-2,75%), músculo (-2,09%), patinho (-1,48%), picanha (-1,30%), cupim (-1,26%) e vísceras de boi (-0,55%). Filé mignon e paleta subiram 3,30% e 1,01%, respectivamente.

 “Vilões” da inflação, em julho:

Gasolina, com inflação de 6,21% e contribuição de 0,20%;

Energia elétrica, com inflação de 4,06% e contribuição de 0,12%;

Diesel, inflação de 2,89% e participação de 0,08%;

Calça comprida masculina, com variação de 5,40% e colaboração de 0,06%;

Refrigerador, com acréscimo de 4,07% e contribuição de 0,05%;

Calça comprida feminina, com aumento de 2,66% e participação de 0,03%;

Televisor, com variação de 2,91% e colaboração de 0,03%;

Fogão, com acréscimo de 7,32% e contribuição de 0,02%;

Tênis com reajuste de 1,76% e participação de 0,02%;

Laranja pera, com elevação de 7,13% e colaboração de 0,01%.Queda no preço da carne puxa deflação de 0,27% em Campo Grande

10 itens que registraram queda no preço

Batata, com deflação de -41,51% e contribuição de -0,17%;

Pescado fresco, com redução de -16,59% e colaboração de -0,12%;

Contrafilé, com diminuição de -13,41% e participação de -0,09%;

Blusa, com decréscimo de -4,25% e contribuição de -0,05%;

Sabão em pó, com baixa de -3,20% e colaboração de -0,04%;

Alcatra, com diminuição de -3,24% e participação de -0,04%;

Acém, com redução de -4,56% e contribuição de -0,04%;

Alho, com decréscimo de -32,59%e colaboração de -0,04%;

Ovos, com queda de -13,35% e participação de -0,04%;

Feijão, com baixa de -7,01% e contribuição de -0,03%.

IPC/CG

O IPC busca medir o nível de variação dos preços mensais do consumo de bens e serviços, a partir da comparação da situação de consumo do mês atual em relação ao mês anterior, de famílias com renda mensal de 1 a 40 salários mínimos.