Cotidiano / Economia

Fiems lança Mês da Indústria e diz que reforma trabalhista traz segurança jurídica

Reforma previdenciária deve ser debatida

Tatiana Marin Publicado em 08/05/2017, às 20h37

None
whatsapp_image_2017-05-08_at_17.39.32.jpeg

Reforma previdenciária deve ser debatida

A Sistema Fiems (Federação da Indústria de Mato Grosso do Sul) vê com bons olhos a aprovação da reforma trabalhista proposta pelo governo e acredita que medida vai trazer tranquilidade e segurança jurídica. Já, em relação à reforma da previdência, a entidade defende um maior debate. As considerações foram feitas pelo presidente da Fiems, Sérgio Longen, em coletiva de imprensa realizada na tarde desta segunda-feira (08). Na oportunidade foi anunciado o Mês da Indústria, que vai oferecer diversas atividades, em que serão discutidas as reformas

“Se a reforma, como está sendo proposta, for aprovada será considerado um grande avanço para a produção e traria grande tranquilidade. Na minha avaliação, teremos grande redução dos conflitos das relações do trabalho. Além de tranquilidade, vai trazer regras claras para a produção”, avalia Longen. 

O presidente da Fiems também citou a questão da participação dos sindicatos, tanto laborais como patronais, nas rescisões contratuais, atribuindo a este modelo a causa do grande número de ações trabalhistas que, segundo ele, ultrapassa os 4 milhões. “Os sindicatos laborais e patronais participavam de decisões e, muitas delas, iam para o judiciário para uma nova demanda, buscando algo a mais que pudesse ser construído ou criado dentro da área judiciária”, explica. 

Longen acredita que a segurança jurídica que seria adquirida pela aprovação da reforma trabalhista garantiria todos os direitos dos trabalhadores. “Não conseguimos alguém que pudesse colocar à mesa o fim de algum direito trabalhista”, afirma o presidente acerca das críticas em relação à proposta do Governo. 

“O Brasil vai avançar aprovando a forma, transferindo para a sociedade o direito do trabalhador discutir aquilo que precisa e o que quer, e não tutelarmos esse direito. Muitas vezes a lei se sobrepõe à vontade do trabalhador”, diz Longen citando trabalhadores que desejam modificação no número de horas trabalhadas ou discutir parcelamento de férias com seu patrão, o que atualmente é impedido pela lei. 

Na avaliação de Sérgio Longen, o reflexo da aprovação da reforma trabalhista se dará através da legalização de muitos postos de trabalho clandestinos. ‘Isso vai fazer com que inúmeros setores possam legalizar as suas ações, que muitas vezes são construídas com o jeitinho brasileiro e vai gerar outras oportunidades, como a contratação para prestar serviço em casa ou a possibilidade de o trabalhador poder acompanhar o trabalho num horário que seja importante pra ele”.

Reforma da Previdência

Já, a reforma da previdência não é vista com tanta empolgação pela Fiems. “Temos um viés diferente. Vamos discutir no dia 15 (em evento do Mês da Indústria) com as lideranças convidadas para debater e avançarmos na informação. Na forma que é vendida, todos são contra. Precisamos avaliar”, pondera. 

De acordo com o presidente da Fiems, a projeção de déficit da Previdência em Mato Grosso do Sul em 2017 é de mais de R$ 1 bilhão. “O Estado tem 75 mil trabalhadores e 23 mil inativos. E estes inativos já superam o valor do déficit”, explica. 

“É um momento de avaliação, do que há para ofertar e que garantias o contribuinte vai ter para avançar na contribuição da aposentadoria. Temos que fazer um grande debate na mesma forma que está sendo feito no congresso. Não dá pra transferir a conta pra sociedade pq não tem mais de onde tirar”. 

Como parte da solução, Longen acredita que uma avaliação dos jovens aposentados do Brasil deva fazer parte da pauta. “É difícil ter uma reforma que dê segurança aos aposentados. Além disso, temos muitos aposentados com menos de 50 anos de idade, temos muitos aposentados jovens. Entendemos que precisam de avaliação, senão os idosos não vão conseguir receber a aposentadoria”.

Mês da Indústria

Como o dia da indústria é comemorado no dia 25 de maio, a Fiems oferece o Mês da Indústria com diversas ações voltadas ao setor, propiciando não só o debate sobre as reformas trabalhista e previdenciária, como a reforma tributária, política e a terceirização. Nesta segunda-feira (8), às 19h30, haverá abertura com palestra do presidente da entidade, Sérgio Longen, com lançamento do programa Fiems Atuante e IGDI Fiems (ìndice Geral de Desempenho Indústria), além de palestra com o Governador Reinaldo Azambuja.

Confira a programação completa.

Reprodução/Facebook

08/05 – Segunda-feira
19h30 
Palestra com presidente Sérgio Longen
Lançamento Programa Fiems Atuante
Lançamento IGDI Fiems (Índice Geral de Desempenho Industrial)
20:15
Palestra Governador Reinaldo Azambuja

10/05 – Quarta-feira
19h30 – Palestra “Como Explorar com Eficiência os Recursos Digitais – Alvaro Vasques, CEO da Opt3 Marketing Digital

15/05 – Segunda-feira
15h00 – Encontro Empresários, Lideranças Sindicais e Representativas sobre reformas (saguão térreo Casa da Indústria)
18h00  – Reunião Bancada federal sobre Reformas com a participação do jornalista da Rede Globo Heraldo Pereira
20h00 – Palestra “Panorama Político e os Impactos para a Produção” Jornalista Heraldo Pereira 

16/05 – Terça-feira
14h00 – Lançamento Ação Cidadania 2017 – Ponta Porã, Campo Grande, Dourados, Coxim e Aparecida do Taboado
15h00 – Mesa Redonda Imprensa MS – Tema Reformas – 6º Andar

17/05 – Quarta-feira
08h30 – Inauguração Biblioteca Conhecimento Laguna Carapã

22/05 – Segunda-feira
08h00 – Inauguração Biblioteca Conhecimento Nova Alvorada do Sul

27/05 – Sábado
08h30 às 15h00 – Ação Global em Três Lagoas

30/05 – Terça-feira
19h00 – Lançamento Cadastro Industrial Fiems
19h30 – Lançamento Programa Complience IEL
20h00 – Palestra “Desmistificando o Compliance” – Pérsia Machado, Gerente Corporativa de Controles e Complience da Fibria

Jornal Midiamax