Cotidiano / Economia

Um dia antes, vendas para o Dia das Mães desanimam comércio

Relato em Campo Grande é de queda de 30%

Júlia de Miranda Publicado em 07/05/2016, às 14h39

None
olhaaqui.jpg

Relato em Campo Grande é de queda de 30%

Amanhã (8) é Dia das Mães, mas ainda é fraco o movimento na região central de Campo Grande. Em tempos de crise econômica, uma pesquisa da Fecomércio-MS (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul) revelou que os filhos devem economizar com presente na ocasião neste ano.

Segundo a comerciante Maristela Morelli, 42, a véspera do Dia das Mães está parecendo mais um dia comum no comércio. “O movimento não está bom, os clientes estão sem dinheiro e não querem gastar. Ano passado uma hora dessas a loja estava lotada, confio que até o final do dia as coisas melhorem”, comentou.

Lojas vazias, exceto as âncoras de renome nacional, e pessoas apenas 'observando' as vitrines confirmam o que a maioria dos comerciantes relataram: o fluxo das vendas caiu em 30% em 2016.

“Ontei foi fraco, hoje continua na mesma. O povo está comprando pouco, ano passado as pessoas investiram até R$200,00 no presente, agora não passa de R$80,00. Minhas vendedoras precisam vender R$ 2,000, cada uma, até o final do dia, acho difícil, mas vamos tentar” explicou a gerente comercial Gabriela Pael, 25.

Números ruinsUm dia antes, vendas para o Dia das Mães desanimam comércio

Os dados da pesquisa da Fecomércio já anunciavam queda. A previsão era de uma movimentação de R$ 27,9 milhões em presentes, contra R$ 40,7 milhões em 2015. De 83% despencou a 59,2% o índice dos que declaram que comprarão presentes. O valor médio cai de R$ 122 a R$ 117,97, conforme os dados do Instituto de Pesquisa Da Fecomércio.

As mamães este ano terão que se contentar com uma singela lembrança, afinal, se chegar de mãos abanando no dia delas, não vai comer a sobremesa do almoço especial.

Alimentação

E por falar em comida, a preparação do prato para o domingo já começou. Os comerciantes do Mercadão estão satisfeitos com o movimento na manhã deste sábado. Mesmo sendo um dia em que a maioria das pessoas almoça fora com a família, muita gente prepara o almoço em casa, e na maioria das vezes é a própria mãe. “Desde ontem várias pessoas estão procurando o açougue para fazer o churrasco ou uma carne assada amanhã, e quem vem comprar é a mãe, acho que os filhos vão mesmo só sentar e comer” , afirmou o comerciante Pedro Nakamura, 42. O peixe de água doce também é uma boa opção para a celebração, a peixaria do local aposta no peixe assado pronto como o carro-chefe de vendas no domingo.

As principais cantinas da cidade acreditam que o domingo vai ser dia de salão cheio, e adiantam que não vão preparar nenhum prato especial, apenas contrataram mais garçons para compor a equipe no dia. Helena Yanaka, proprietária de um restaurante movimentando do centro da cidade começou a organizar o cardápio hoje, não revelou por motivos de 'surpresa' mas revelou que docinhos serão oferecidos as famílias como mimos.

Jornal Midiamax