Cotidiano / Economia

Cliente só consegue trocar roupa na Renner depois de ‘bafo’ na internet

Empresa é obrigada a fazer troca com cupom fiscal

Midiamax Publicado em 24/06/2016, às 18h17

None
renner-roupa.jpg

Empresa é obrigada a fazer troca com cupom fiscal

A filha da assistente administrativo Tânia Oliveira de Almeida nem chegou a usar o macacão comprado pela mãe. A roupa rasgou após a lavagem, e com o cupom fiscal apagado, ela só conseguiu fazer a troca na Renner porque fez várias postagens nas redes sociais.

Tânia pagou R$ 89,90 no macacão para a filha de 5 meses no dia 1º de junho. “Na primeira lavagem, ela rasgou tudo. Fui procurar a nota, não sei o que aconteceu, apagou a nota. Fui lá e eles não quiseram trocar. Consegui falar com o gerente, ele disse que não tinha como trocar, que era política da loja, e que a loja estava dentro da lei”, diz a assistente administrativo.

Indignada com a resposta da empresa, Tânia fez várias postagens no Facebook. “Até no Facebok da loja eu reclamei. Como eu tinha dado meu telefone ao gerente, ontem ele me ligou e pediu que eu fosse na loja fazer a troca”, explica. E a consumidora acredita que a troca só foi feita pelas reclamações e compartilhamentos da postagem. “Infelizmente, a gente só consegue as coisas brigando”, pontua.

A equipe de reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com as Lojas Renner, mas até o fechamento desta matéria não teve resposta.

Orientações

Cliente só consegue trocar roupa na Renner depois de 'bafo' na internetO consumidor precisa exigir o cupom fiscal na hora da compra. “E seguindo o Código de Defesa do Consumidor, para bens duráveis, ele tem no prazo 30 dias para fazer a troca”, diz a superintendente do Procon- MS (Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor), Rosimeire da Costa.

“O correto seria que a empresa checasse se a compra foi feita lá. Se sim, mesmo com cupom apagado ainda dava para comprovar que a compra era daquela loja. A empresa pode ter acabado revolvendo porque colocou na rede social, e isso mostra um despreparo da empresa”, afirma Rosimeire.

Os cuidados, segundo o Procon-MS, são: “pedir o cupom fiscal sempre, guardar ele até que satisfaça o tempo de uso daquela roupa, e seguir as informações do produto que comprou, ou seja, seguir as regras da etiqueta (lavagem em água morna, etc)”.

Caso o consumidor tenha dificuldades para conseguir fazer a troca na empresa, ele precisa procurar o Procon. O telefone é (67) 3316-9800.

Em Campo Grande, o órgão funciona na Rua 13 de Junho, 930, Centro. O consumidor também pode entrar em contato pelo disque-denúncia 151. 

Jornal Midiamax