Cotidiano / Economia

Alerta: tem material escolar vendido por R$ 2,99 até R$ 48; 1.500% a mais

Foram pesquisados 228 itens

Gerciane Alves Publicado em 19/01/2016, às 19h42

None
material.jpg

Foram pesquisados 228 itens

Para tentar facilitar a vida dos pais com filhos em idade escolar que esta época do ano passeiam de loja em loja em busca do melhor preço, o Procon/MS através do Setor de Pesquisas , divulgou nesta terça-feira (19) a pesquisa de preços dos materiais escolares referentes ao mês de janeiro deste ano. 

Seguno o Procon ao todo foram pesquisados 228 itens em oito estabelecimentos.A pesquisa também mostra o comparativo com a pesquisa realizada em novembro do ano passado e os resultados apontaram que de novembro para janeiro houve um aumento de 4,92% nos valores médios dos materiais.

De acordo com a pesquisa o material que apresentou maior variação de um local para outro na pesquisa de 2016, foi um mini dicionário vendido por R$48 em um estabelecimento e por R$ 2,99 em outro. Tal diferença representou uma variação de R$ 1505,53%, enquanto na mesma amostragem as folhas de EVA adesivas tiveram a menor variação, de 0,92%.

No comparativo entre os meses de novembro e janeiro lideraram o ranking de maior variação de preço as folhas de EVA adesivas, agenda anual de personagens, papel de presente, borracha branca pequena simples, mini dicionário, apontadores de plástico, cola bastão e caneta esferográfica. O apontador de plástico simples com um furo sem depósito também apresentou a menor variação de uma pesquisa para outra, com índice de -0,88%.

De acordo com a superintendente do Procon/MS, Rosimeire Cecília da Costa, o objetivo da pesquisa é esclarecer e oferecer uma referência ao consumidor através dos preços médios obtidos dentro da amostra pesquisada. “A pesquisa acaba funcionando como uma utilidade pública e orienta o consumidor a fazer a compra de acordo com o seu orçamento. Outro objetivo da pesquisa, mesmo que indireto, é mostrar a incongruência entre os fornecedores”, disse a superintendente.

A pesquisa pode ser conferida na íntegra através do site do Procon no link pesquisa de preços(Texto sob supervisão de Marta Ferreira)

Jornal Midiamax