Cotidiano / Economia

Bovespa opera instável com noticiário corporativo intenso

Na semana, o índice recua 2,19%

Gerciane Alves Publicado em 30/04/2015, às 16h20

None
bovespa.jpg

Na semana, o índice recua 2,19%

A Bovespa passou a operar com instabilidade nesta quinta-feira (30), após ter iniciado o dia em alta e passado para o campo negativo, subindo novamente no início da tarde. A sessão é marcada por um noticiário corporativo vigoroso e queda nas principais bolsas no exterior.

A repercussão negativa dos números do primeiro trimestre da Vale, particularmente os dados de geração de caixa medida pelo Ebitda e perspectivas para o minério de ferro, pesava nas ações, pressionando o Ibovespa.

Às 13h33, o Ibovespa, principal índice de ações da bolsa, avançava 0,32%, a 55.501 pontos. O Ibovespa caminha para fechar o mês com ganho acumulado de cerca de 8%.

Após divulgar o prejuízo do trimestre, as ações preferenciais da Vale caíam 1,17%. Já os papéis da Petrobras subiam cerca de 1%, após eleição de seis novos membros para o Conselho de Administração da companhia.

Destaques de alta

Lojas Renner, por sua vez, contrabalançava o efeito negativo ao disparar quase 9%, após resultado do primeiro trimestre, com analistas destacando a alta de 16,5% nas vendas de janeiro a março.

Gafisa liderava as altas do índice, com valorização de 10%, após a empresa informar que há grupos interessados em eventual compra de participação societária na Gafisa e na Tenda, embora até o momento não exista proposta em vigor ou documento celebrado.

Natura também estava entre os destaques positivos, após divulgar lucro líquido de R$ 119,6 milhões nos três primeiros meses do ano, acima das expectativas, e anunciar reajuste de preço de 2,5% em algumas categorias de produtos.

Embraer subia mais de 4%, apesar de prejuízo de R$ 188 milhões no primeiro trimestre. Em nota a clientes, o BTG Pactual disse que a primeira leitura dos números foi positiva e que o resultado, apesar de negativo, veio acima das suas expectativas.

JBS avançava mais de 3%, na esteira da repercussão dos números de sua subsidiária norte-americana Pilgrim’s Pride.

Em Nova York, índices acionários operavam em queda, sob peso da ação da Apple e do setor de biotecnologia, com investidores deixando de lado dados econômicos encorajadores dos Estados Unidos.

Na véspera, o Ibovespa, principal índice de ações da bolsa, recuou 0,87%, aos 55.325 pontos, em seu segundo dia de alta. Na semana, o índice recua 2,19%. Em abril, no entanto, a bolsa acumula alta de 8,21%.

Jornal Midiamax