Oito dos nove grupos de produtos e serviços que integram o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) registraram altas de preços em março, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O único grupo com redução foi Artigos de Residência (-0,18%), com impacto de -0,01 ponto porcentual.

Nos demais houve inflação: Transportes (1,50%, impacto de 0,30 ponto porcentual), Vestuário (0,11%, impacto de 0,01 p.p.), Habitação (0,81%, impacto de 0,12 p.p.), (0,08%, impacto de 0,01 p.p.), Despesas Pessoais (0,28%, impacto de 0,03 p.p.), Saúde e Cuidados Pessoais (1,18%, impacto de 0,15 p.p.), Comunicação (0,75%, impacto de 0,04 p.p.) e Alimentação e Bebidas (0,20%, impacto de 0,04 p.p.).

O resultado dos Artigos de Residência foi influenciado pelo recuo de 1,81% de TV, som e informática, em particular os televisores (-1,89%) e os computadores pessoais (-1,68%).

O resultado geral do IPCA-15 em março foi decorrente de altas de preços em todas as 11 regiões pesquisadas.

A taxa mais branda ocorreu em (0,37%), enquanto as mais acentuadas foram registradas em Porto Alegre (1,13%) e (1,13%).