As confeiteiras de ovos caseiros de Campo Grande têm boas expectativas de vendas para a Páscoa e, neste ano, vão além da tradicional casca de chocolate. Da tendência “Bentô” a kits infantis e bala baiana, as vendedoras inovam para chamar a atenção do consumidor e ter um diferencial dos industrializados vendidos no comércio. 

A atitude tem justificativa: a Páscoa deve movimentar cerca de R$ 256,88 milhões na economia de Mato Grosso do Sul, aponta uma pesquisa de intenção de compras realizada pelo Instituto de e Desenvolvimento da Fecomércio MS (IPF-MS) e o Sebrae MS.

O levantamento aponta que R$ 121,17 milhões serão usados para presentes e o restante para comemorações. Entre os entrevistados, 56,53% afirmam que pretendem comprar ovos de páscoa, porém apenas 20,14% vão adquirir a guloseima de produção caseira. 

Assim, os microempreendedores precisam se destacar para atrair vendas nesta época que deve movimentar fortemente a economia. 

Além disso, o principal atrativo na hora de comprar será o bolso. A pesquisa aponta que 66,64% dos que responderam às perguntas vão levar em consideração o desconto para pagamento à vista no dinheiro ou débito. 

Já sobre o produto, o recheio é o item mais relevante para 44%, seguido por tamanho (28%) e brinde (24%). Esse último item do levantamento é especialmente interessante para as confeiteiras, já que muitas apostam em apresentações diferentes para atrair vendas. 

Maria Eduarda Oliveira do Carmo, de 21 anos, trabalha desde 2020 com ovos de Páscoa e sempre apostou em kits infantis com brinquedos para conquistar a clientela. 

Wandinha, Boneca LOL, Naruto, Patrulha Canina e Incrível Hulk são alguns dos personagens que compõem os kits que variam de R$ 40 a R$ 60. A confeiteira conta que o campeão de vendas é o que vem com três personagens por ter um bom custo benefício. 

“Espero bater minha meta de faturamento que tive no ano passado e crescer na faixa dos 50% pra cima por causa dos ovos industriais, principalmente os infantis com brinquedos, estarem com valores bem salgados esse ano, então a expectativa está bem alta”, ela torce. 

Estética “bentô” é tendência na confeitaria. (Foto: Arquivo Pessoal)

Além dela, Lucilene dos Rodrigues investiu em ovos com uma estética “bentô cake”, que foram tendência no ano passado. O doce conta com uma cobertura branca em que é escrita uma frase divertida ou recado à escolha do cliente. 

“Ano passado foi uma febre a procura desse minibolo bentô cake. Então, anunciei e tive muita procura, aí neste ano decidi investir no ovo de Páscoa com o mesmo tema”, ela conta. 

A expectativa da confeiteira neste ano é superar as vendas do ano passado devido ao momento mais favorável na economia. 

“Já passou o período da pandemia e as pessoas estão mais confiantes na segurança alimentar”, acredita. 

O ovo de 250 gramas custa R$ 60, o de 350 gramas sai por R$ 70 e o de meio quilo é vendido por R$ 80.

A maioria desses profissionais aposta nas para divulgar os produtos e as novidades. A Páscoa, neste ano, será em 9 de abril, mas as confeiteiras recebem encomendas desde março.

Clássicos também conquistam clientes

Os ovos elaborados com super-recheios são um toque especial das confeiteiras, que se diferem do produto industrializado pelo preço e a apresentação. As cascas de chocolate recheadas saltam aos olhos com diferentes tipos de doces.

Como um exemplo, no site da Lacta, o ovo de 176 gramas do Diamante Negro sai por R$ 39,99, enquanto o de Sonho de Valsa de 357 gramas é vendido por R$ 53,99.

Menos de 200 gramas de Ovo de Páscoa é vendido por quase R$ 40. (Foto: Reprodução Internet)
Confeiteira investe há oito anos em ovo de bala baiana. (Foto: Arquivo Pessoal)

Já nas mãos das confeiteiras, Helena Pestana comercializa um ovo tradicional de 250 gramas por R$ 35, enquanto com sabores especiais sai por R$ 45. Os recheios são variados, indo desde bala baiana, morango cremoso, brigadeiro e até as balinhas MM. O recheio com a bala baiana já é uma aposta de oito anos da profissional.

“Sobre o faturamento não tem como prever, trabalho sempre com os pés no chão e os sonhos nas alturas”, conta a mulher.

Chris Cardozo, de 27 anos, investe pelo segundo ano em ovos de Páscoa. Em 2023, ela aposta em ovos de colher. O campeão em pedidos é o de leite ninho com Nutella. A expectativa de vendas dela é subir o faturamento em 50%, saindo de R$ 1 mil para R$ 1,5 mil. 

“A páscoa é o primeiro período bom de vendas depois das sobremesas de Natal e Ano Novo”, ela garante. 

Os preços começam com minitrio de ovos de 50g por R$ 25 com recheios variados de frutas e doces, como morangos, kiwi, maracujá e bombons. 

Kit de miniovos de páscoa são sucesso de vendas para Chris Cardozo. (Foto: Arquivo Pessoal)

Sobre os prazos para comprar, as cozinheiras contam que, geralmente, aceitam encomendas até às vésperas do feriado. “Consigo fazer até 2 dias antes da data, mas as pessoas gostam de encomendar já bem em cima da data”, afirma a confeiteira de 20 anos, Anathyelle Souza. 

Saiba Mais