Com objetivo de ampliar o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, e chikungunya, a (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana) tem utilizado drones para o mapeamento e fiscalização de terrenos baldios nas regiões com maior incidência de casos confirmados em .

Segundo a Semadur, os drones possibilitam maior precisão durante as fiscalizações, pois em um curto espaço de tempo, dezenas de terrenos baldios podem ser identificados e então, seus proprietários são notificados a fazer a correta dos imóveis.

No Bairro Vivendas do Parque, local com alta incidência de casos confirmados, os drones, sobrevoaram, em duas horas, uma área de 890 mil m² (ou 89 hectares), compreendendo todo o bairro. No total, foram 55 quadras monitoradas pelos drones.

Em 23 de fevereiro, os drones sobrevoaram o Bairro Parati, localizado na Região do Anhanduizinho. Na operação foi possível analisar, em cerca de 2h30, uma área de 1.254.735 mil m² (ou 125 hectares). Por lá, foram 66 quadras quantificadas.

Mapeamento aéreo
Mapeamento aéreo (Divulgação, PMCG)

Kátia Sarturi, secretária municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana, destaca que novas tecnologias desempenham um papel fundamental no combate à dengue, zika e chikungunya.

“Com a utilização dos drones temos a oportunidade de identificar potenciais criadouros de mosquitos em áreas que seriam de difícil acesso, ficam totalmente acessíveis para identificação”.

Os dois bairros foram escolhidos devido à alta incidência de casos de dengue. Após a fiscalização, as imagens obtidas são encaminhadas para análise dos auditores fiscais e a correta identificação dos terrenos baldios sem a devida manutenção, assim, são elaborados os relatórios fiscais e encaminhados como notificações aos proprietários.

Prevenção

Prevenção a dengue
Prevenção a dengue (Nathalia Alcântara, Midiamax)

Além da dengue, o mosquito Aedes aegypti também é transmissor de doenças como a chikungunya e o Zika Vírus, por isso, é essencial adotar medidas para evitar a proliferação e contaminação:

  • Evitar água parada, em qualquer época do ano, mantendo bem tampado tonéis, caixas e barris d'água ou caixas d'água;
  • Acondicionar pneus em locais cobertos;
  • Remover galhos e folhas de calhas;
  • Não deixar água acumulada sobre a laje;
  • Encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana;
  • Fazer sempre a manutenção de piscinas.

Os principais sintomas da dengue incluem febre alta, dor de cabeça intensa, dor nas articulações e erupção cutânea. Além disso, a SES recomenda estar atento aos sinais de alarme, que podem incluir dor abdominal intensa, vômitos persistentes, diarreia, fadiga e sangramento de mucosas.

Serviço:

Em caso de dúvidas, entre em contato com o Plantão CIEVS Estadual através do disque-notifica pelos telefones: (67) 9 8477-3435, 0800-647-1650 ou (67) 3318-1823.

💬 Receba notícias antes de todo mundo

Seja o primeiro a saber de tudo o que acontece nas cidades de Mato Grosso do Sul. São notícias em tempo real com informações detalhadas dos casos policiais, tempo em MS, trânsito, vagas de emprego e concursos, direitos do consumidor. Além disso, você fica por dentro das últimas novidades sobre política, transparência e escândalos.

📢 Participe da nossa comunidade no WhatsApp e acompanhe a cobertura jornalística mais completa e mais rápida de Mato Grosso do Sul.