A Comissão de Saúde da Câmara de solicitou à prefeitura do município explicações sobre o cronograma de escala de médicos que prestam atendimento na UPA (Unidade de Pronto Atendimento). A reclamação foi feita em plenária pela vereadora Liandra da Saúde (PTB).

A parlamentar, que é presidente da Comissão e também faz parte da bancada de sustentação do prefeito Alan Guedes (PP), constatou irregularidades na UPA durante visita feita ao local no último final de semana.

“Ontem estive na UPA, por volta das 13h, e as pessoas que foram atendidas na parte da manhã estavam lá ainda, aguardando a reavaliação, e não havia médicos para atendimento”, disse a vereadora durante pronunciamento na tribuna.

Ainda segundo Liandra, “o médico coordenador da UPA estava presente, porém, segundo os funcionários, não poderia ser chamado, pois estava em horário de almoço. E os pacientes lá aguardando”.

De acordo com denúncias dos funcionários, o médico coordenador, quando está de plantão de madrugada, não aceita ser acordado para atendimento de pacientes.

“Todos os funcionários da UPA sabem meu número de telefone, é só me chamar que venho aqui de madrugada acordar esse médico. Ele recebe pra trabalhar, não pra dormir. Eu adoro acordar médico! Acordava muitos quando trabalhava na UPA”, explicou a vereadora.

Segundo uma moradora do Jardim Água Boa, o descaso com a população é constante, principalmente em casos de atendimento de emergência. “Todas as vezes que procurei a Upa durante a noite fui muito mal atendida”, relata a comerciária Janete Garcia.

O que diz prefeitura:

Procurada pela reportagem do Jornal Midiamax, a respeito da denúncia da vereadora, administração municipal explicou, por meio de nota da assessoria de imprensa, que a responsabilidade pela UPA é da Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados), presta serviços para a Prefeitura.

“Diante do requerimento, a administração vai verificar e solicitar junto à Fundação um mecanismo capaz de dar maior transparência à escada de médicos. Porém, a Funsaud, em seus relatórios, não tem apontamento falhas na escala dos profissionais”, diz a nota da prefeitura de Dourados.