Diego Alves

Fundação MS irá apresentar tendências para as próximas safras de em , cidade a 159 quilômetros de Campo Grande, conhecido o “Dia de Campo de Soja – Safra 2023/2024” no próximo dia 23 de janeiro.

O evento ocorrerá na Alegria e apresentará os principais experimentos de manejo, fertilidade do solo, cultivares de soja e proteção de plantas. De acordo com André Lourenção, pesquisador da Fundação MS, o objetivo é revelar aos produtores rurais e técnicos do setor, as novas variedades e demonstrações de soja, além de recomendações para a próxima safra. “É um dos principais eventos da Fundação MS. É nessa ocasião que apresentamos os trabalhos que desenvolvemos, não por campos demonstrativos, mas pelos experimentos em si.

Os pesquisadores selecionam os experimentos mais importantes, com os resultados de relevância, que estão diretamente ligados às demandas reais dos produtores. São resultados que já podem ser aplicados dentro das fazendas”, diz.

Segundo a Fundação MS, os experimentos serão divididos em seis estações, com temáticas diferente: rede de avaliação de cultivares de soja; uso de herbicidas pré-emergentes no controle de pragas; utilização de culturas de cobertura visando o manejo de patógenos de solo e nematóides; aplicação de espécies de bacillus; eficácia de controle de fungicidas e aporte de fósforo no e na soja.

Após Maracaju, os próximos Dias de Campo acontecerão em diferentes municípios do Estado. Em Ponta Porã, as atividades acontecerão no dia 30 de janeiro, em no dia 6 de fevereiro e no dia 8 de fevereiro.

Sobre a Fundação MS:

A Fundação MS é uma instituição de pesquisa com mais de 30 anos de experiência, com trabalhos voltados a diferentes culturas, na safra e safrinha, em diversas regiões de Mato Grosso do Sul.

Com atuação sempre pautada em demandas advindas dos produtores rurais, os pesquisadores realizam experimentos que visam o desenvolvimento, a produtividade e a qualidade dos produtos. Por meio do Conselho Técnico-Científico (CTC) os problemas e desafios são levantados pelos membros do conselho, e os pesquisadores elaboram protocolos que são levados a campo.